segunda-feira, 30 de março de 2009

Carla Domingues, Rainha da Noite

Carla Domingues Batista cantou uma das árias da Rainha da Noite, da ópera "A Flauta Mágica", de Mozart, com o acompanhamento da Camerata Florianópolis, regida por Jeferson Della Roca, em dezembro de 2008. Carla é soprano lírico, graduada pelo Conservatório de Música de Pelotas em Canto (2005) e na Licenciatura em Música (2006).

Natural de Canguçu, ainda estudante ela se apresentava com sucesso em diversos palcos, abordando variados gêneros musicais, e após sua formatura segue subindo degraus qualitativos, em progressiva formação técnica e ganhando concursos no Brasil e no Uruguai. O desempenho em Florianópolis, onde cursou Mestrado em Musicologia, é um deles.

A ária da Rainha da Noite aqui abordada é Der Hölle Rache kocht en meinem Herzen (A vingança do inferno arde em meu coração), que oferece dificuldades importantes, como a pronúncia do alemão, a capacidade de chegar a um Fá 6 (a nota mais aguda) mantendo a afinação e, ainda, a intensa expressividade teatral da personagem. Como no teatro, uma coisa é decorar o papel, e outra é transmitir a alma do personagem.

Além de superar estas exigências dando a impressão de serem fáceis, Carla o faz no início de sua carreira, o que nos deixa duplamente impressionados: pela força da personagem em si, e pelo contraste que percebemos entre este papel e a intérprete tão jovem e simpática. Carla faz que, desde os primeiros compassos, a fúria e a maldade da Rainha da Noite cheguem a nossos ouvidos por sua voz, pelos trejeitos faciais e até pelas mãos. Se a genialidade do compositor se impôs foi porque a intérprete a deixou fluir.
Post atualizado em 21-1-14

2 comentários:

Teresinha Brandão disse...

Fantástico...! Que bom sabermos que de nossa terra brotam talentos como o de Carla!
Parabéns!
Bj,
Tê!

Francisco Antônio Vidal disse...

Escolhi esta gravação pela qualidade expressiva, que ainda me emociona apesar de tê-la ouvido várias vezes. "Matematicamente" não é tão perfeita como outros desempenhos dela, mas como interpretação acho-a impecável aqui; somente pela voz, sem cenografia nem vestuário especial, ela dá o toque emocional certo.