terça-feira, 3 de março de 2009

A paz da rua Hugo Veiga

Esta é uma rua tão tranquila que parece estar numa Pelotas de 50 anos atrás. A Engenheiro Hugo Veiga tem uns 500m, da Marcílio Dias (entre Cassiano e Major Cícero) até a Albuquerque de Barros, a que rodeia o Parque do Trabalhador.

O setor é o mais central possível, ainda que pareça afastado da vida comercial e social. Faz parte da paróquia da Catedral, a mais tradicional e antiga. A oeste da Marcílio, as ruas que vêm do centro conservam o nome e a numeração, mas aqui se formou uma nova artéria. De mão dupla, toda ela está pavimentada com pedras irregulares, o que dificulta as correrias; suas amplas calçadas infundem uma impressão de serenidade e comodidade. Acima, o trecho inicial, com as casas da Marcílio ao fundo.

Alguém já passou por essa rua ou sabia de sua existência? Achei uma só menção a ela, no Diário Popular de 24-03- 2002 (veja o texto); ali morava a então vereadora (2001-2005) Maria Ieda Barbosa, mais conhecida como Pastora Ieda, atuante no Evangelho Quadrangular.

Quem já ouviu falar de Hugo Veiga da Cunha? Foi um engenheiro-agrônomo que atuou em extensão rural, especialmente em Pelotas - citado pelo jornalista José Castro (Diário Popular, 18-03-2001).

Esta zona não era parte do primeiro loteamento de Pelotas, definido na fundação da Freguesia: de norte a sul entre Bento Gonçalves e Gen. Neto, e de leste a oeste entre Alm. Barroso e Marcílio Dias. Com a ampliação da cidade no século XX, outros setores foram explorados, e esta área ficou marcada por essa época, com casas de classe média e um aspecto suburbano.

A calçada sul mais parece uma rua; é mais ampla que um carro (acima). Um minicentro comercial mescla elementos modernos e semirrurais: Paulo Estacionamento, Flor video locadora (cartaz com luz própria - detalhe à esq.), lan house 10-21h.

A Pelotas da Engenheiro Hugo Veiga não parece ser nem de nosso tempo de riqueza, nem da decadência; aqui ficou a tranquilidade e a despreocupação com os passados e os futuros.
Fotos de F. A. Vidal.

POST DATA (10-8-12)
Veja nos comentários uma correção sobre o nome do Engenheiro Hugo Veiga
.

11 comentários:

tecersentidos disse...

Hum, Fracisco ... Agora que eu sei que tu és tu, e não teu pai, ... bem, então, já há uma certa intimidade (ou seria intimidação?!), portanto, eis a pergunta que não quer calar: o que fazes por aí em ruas tão desertas e desconhecidas?! Eh, eh!
Sr. arqueólogo Francisco Antônio Vidal, não me venhas com respostas: "Ossos do ofício ...!!!"
Não "cola", eh, eh!
Bah, "liquidesi" com a tua matéria, tanto trabalho, tsi, tsi, ...
Bj, Tê!

Francisco Antônio Vidal disse...

Todo pesquisador é xereta e alguns andam pelo deserto procurando diamantes ou vendo beleza nas dunas.
Quem gosta quer conhecer mais, e quem conhece gosta mais. Mas claro que nunca faltam os iconoclastas.

tecersentidos disse...

Grgrgrgrgr ... ! "Levei nos dedos", como seria de se esperar, eh, eh! Implicante?! Não ...! Tsi, tsi...
Bj, Francisco! É por essas e outras que ´não deverias falar em "iconoclasta"; ao contrário: "idolatria", eh, eh!
Te admiro muito e também asdmiro a seriedade com que fzes teu trabalho! Registro aqui o meu pedido de desculpas pela brincadeira!
Agora sim, fui!!!!
Bj! Tê!

Anônimo disse...

que lixo de rua sou mais a alburquerque de barros

Tribos disse...

Moro nessa rua há anos, sempre que perguntei aos moradores mais antigos quanto ao nome da rua, quem foi Hugo Veiga, nunca tive resposta.

Lendo a postagem finalmente encontrei um pouco da informação que procuro há anos.

Francisco Antônio Vidal disse...

Segundo o Museu do SANEP, Hugo Veiga foi um dos engenheiros municipais que trabalharam nas obras de esgoto da zona urbana, de junho de 1913 a abril de 1915.
http://www.pelotas.com.br/sanep/museu/obras_esgoto.html

CaRoL Fontanella disse...

Apenas uma correção, o Engenheiro se chamava Hugo Martinez Veiga e não Hugo Veiga da Cunha como foi escrito. E, ele era sub-diretor do departamento de obras publicas e viação. Apos, se tornou diretor do departamento de saneamento de Pelotas.

CaRoL Fontanella disse...

Além disso, realizou o projeto da ponte do retiro e foi responsável por sua construção. O Engenheiro Hugo Martinez Veiga formou-se como Engenheiro Agrônomo aos 17 anos por correspondência em uma universidade norte-americana. E, e o avo do dono e professor do Curso de Pre-vestibular Veiga, muito conhecido na cidade.

CaRoL Fontanella disse...

Corrigindo, formou-se como Engenheiro Agrônomo em Pelotas e na impossibilidade de deslocar-se até Porto Alegre formou-se como Engenheiro Civil por correspondência em uma universidade norte-americana. Possuo tais informações pois sou casada com o bisneto do Sr. Hugo Veiga.

Francisco Antônio Vidal disse...

Obrigado por acrescentar informações. Não foi fácil achar o nome de Hugo Veiga da Cunha, e o de Hugo Martinez Veiga simplesmente não apareceu.
A única referência que achei está citada no post: em março de 2001, o vereador Júlio Honório propôs instituir a distinção "Extensionista Rural Hugo Veiga da Cunha", engenheiro-agrônomo gaúcho que iniciou a extensão rural no Estado. http://srv-net.diariopopular.com.br/18_03_01/espeto_corrido.html

Segundo o site de genealogias GENEALL, Hugo Martinez Veiga nasceu em Pelotas em 1-11-1895, e casou-se em 29-7-1921 com Diná Nunes de Azevedo. http://www.geneall.net/P/per_page.php?id=506393

Em 1935, ambos nomes citados eram engenheiros-agrônomos: números 934 e 1026, na lista de profissionais do Ministério da Agricultura, Diário Oficial de 12-7-35: http://www.geneall.net/P/per_page.php?id=506393

A informação do Museu do SANEP, que citei no comentário de 9-12-10, está neste endereço: http://www.pelotas.com.br/teste/sanep/museu-do-saneamento/esgoto/inicio-das-obras/

Francisco Antônio Vidal disse...

O MITOBLOGOS diz (nº 63) que Hugo Martínez Veiga foi filho de José Borges da Silva e Veiga e Rosalia Martínez Rajel.
Também informa que nasceu em Pelotas em 1 novembro 1895 e casou-se com Diná Nunes de Azevedo em 29 julho 1921.
http://mitoblogos.blogspot.com.br/2008/05/genealogia-197-famlia-jacinto-de.html