sábado, 16 de janeiro de 2010

O olho da Cotada

Pintura em parede, de Matheus Lanzetta (2009)
Para a megaexposição "Arte no Porto III", na antiga Cotada, em outubro de 2009, Matheus Lanzetta concebeu um olho de uns dois metros de altura (dir.). Usou uma chapa de metal como matriz em negativo, mediante a qual a tinta seria vertida sobre a parede.

Tratando-se de uma parte do corpo humano, o artista pensou em colocar o grande olho num ponto externo, em que pudesse integrar-se ao edifício e identificar-se com ele, dando-lhe um traço de personalidade e de vida própria.

Vários participantes criaram obras especialmente para a ocasião e o lugar da mostra, mas as decisões finais passaram pelo coordenador-curador José Pellegrin. Este achou conveniente deixar a obra no resguardo interno do prédio e a localizou num espaço do terceiro piso, onde conservou seus detalhes individuais, mas sem a conexão com o todo.

O título da obra, impresso em minúsculas letras, deixou bem claro o sentido pensado pelo autor:

Se esse prédio tivesse um olho, ele seria assim:

Foto de F. A. Vidal

POST DATA: Nos comentários, o autor faz uma pequena correção.

4 comentários:

rodasolultra disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Matheus Lanzetta disse...

Apenas corrigindo, o material usado para confeccionar o molde foi papel craft.

Muito rico o conteúdo do blog,parabéns !

Sugiro que fale também sobre o graffiti de Pelotas que é bem reconhecido em todo Rio Grande do Sul.

Abraço

Francisco Antônio Vidal disse...

Pode enviar sugestões específicas de grafiteiros e mostras em Pelotas?

Matheus Lanzetta disse...

claro, é só me enviar seu e-mail que eu te dou uma lista com os principais nomes e seus respectivos sites com fotos.

rodasolultra@gmail.com