terça-feira, 26 de abril de 2011

Duo Ímpar, um coquetel musical

O Duo Ímpar foi criado há um ano pelo violonista Maurício Mendonça e o flautista Gil Soares, ambos professores em seus instrumentos. A primeira apresentação foi em 3 de julho de 2010, no Museu da Baronesa, como parte das celebrações da Semana de Pelotas.

No repertório, os experientes músicos aliam o erudito ao popular, especialmente de autores argentinos e brasileiros do século XX. Na apresentação, o duo mescla a seriedade com o bom-humor, a começar pelo próprio nome.
Na foto acima, eles transmitem a importância da unidade na diversidade, em que o artista não se define pela obra que apresenta, mas pela postura e a atitude ante o público. Holisticamente, cada integrante representa o todo e pode substituir o companheiro, na mesma mensagem.

A próxima apresentação do Duo Ímpar será esta quarta (27), às 20h, no Centro Português 1° de Dezembro (Andrade Neves, 2042).
No programa (dir., clique para ampliar), trechos em solo e duetos dos argentinos Astor Piazzolla (1921-1992) e Máximo Pujol (1957), os brasileiros Heitor Villa-Lobos (1887-1959), Egberto Gismonti (1947), Edmundo Villani-Côrtes (1930) e Guinga (1950), e o alemão Georg Philipp Tellemann (1681-1767).
Maurício Mendonça já se apresentou em mais de 50 concertos, conquistou premiações como instrumentista e compositor, obteve primeiro lugar em recente concurso na UFSM e atua como professor de violão no Grupo Piano Class, em Pelotas.
Gil Soares participou em várias formações camerísticas, é coordenador do naipe das madeiras da Orquestra Filarmônica Música pela Música, compõe o núcleo de produção musical do Tholl e atua em apresentações junto ao Grupo Piano Class.
Imagens: Piano Class

2 comentários:

Manoel Magalhães disse...

Excelente oportunidade para ver e ouvir dois (?) músicos talentosos. Imperdível!

Francisco Antônio Vidal disse...

Sim, o Duo Ímpar são dois músicos como diz o nome, mas a dupla é ím-par por sua incom-par-abilidade. Dois tocam, mas ouve-se um terceiro elemento (ímpar).