terça-feira, 7 de junho de 2011

A bola e a roda, de Zé e Tatu


Este sábado (11) às 16h, a Praça Coronel Pedro Osório verá "A Bola e a Roda", espetáculo de teatro infantil criado por José Menna e Tato Ribeiro, com desenho visual de Helene Sacco.
Com música e humor, o Zé e o Tatu entram em procissão de dois, encarnando os espalhafatosos personagens Auscultador e Viajante (veja uma síntese no blogue A bola e a roda). Em vez de guarda-chuva eles usam "guarda tempo bom", um protetor que tem o sol pelo lado de dentro.
Cientista e poeta levam o lado criança do espectador a se encantar com mágicas e maluquices, segundo conta o escritor Manoel Soares Magalhães, que viu o ensaio aberto e entrou na máquina do tempo. Leia a crítica no blogue do multiartista (autor de arte naïve e de diversos gêneros literários).
Imagens de divulgação

4 comentários:

ALCENA C V C disse...

Maravilha, viva o teatro ,viva as artes,
vamos fazer o teatro ser verdadeiramente
do povo para o povo e com o povo!
viva viva viva!!!!! bjs


http://www.alcenacvc.blogspot.com/

Anônimo disse...

O texto de Manoel é espetacular. Vem da antiguidade até nossos dias, nua contextualização fora de série. Não imaginei que o escritor pelotense tivesse o dom da critica também. Surpresa para mim. Oportuna esta publicação, Francisco Vidal. Mostra o ecletismo do teu blog. Parabéns. Edna Soares - pelotense morando em Campinas/SP

Francisco Antônio Vidal disse...

Manoel já mostrava os talentos para a crítica (sensibilidade, visão lúcida, bom estilo), mas não os exercia nessa área da escrita. A leitora acima soube perceber que o escritor está entrando num novo gênero (mas as capacidades já estavam em ação).

Outra sutil e sábia mensagem do post de Manoel é que qualquer pessoa pode exercer o dom da crítica se perceber um talento artístico como os do Zé e Tatu. É só gritar ao mundo "como eles são bons e nos alegram a alma!"
Quem enxergar algo positivo para a vida, e ficar calado, pobre dele, que não exerce sua função profética, de melhorar o mundo apontando as saídas (frestas) para a salvação.
Não só de denúncias se faz o desenvolvimento. São especialmente os anúncios que dão a direção do crescimento.

Anônimo disse...

Olá Francisco, bom dia. Eu era fã de Manoel no Amigos de Pelotas, e fiquei triste quando ele desapareceu - e não ficamos sabendo os motivos. Continuo lendo o blog - assim como acompanho o seu - mas sentia muita falta das crônicas que o escritor publicava lá. Agora, felizmente, acompanho-o no Entre Amigos. Mais uma vez agradeço ao teu blog pela divulgação da espetáculo A bola e a roda,e, por extensão, anunciar o excelente trabalho de Manoel. Edna Soares