quarta-feira, 3 de julho de 2013

Arco-íris no Laranjal


Quando a mão do Criador desenha o mundo em que vivemos, o fotógrafo atento à linguagem simbólica pode fazer uma leitura da Ideia divina. Na praia solitária, a grande laguna é a prancheta da paz e o arco-íris é o lápis das emoções. O Pai escreve com amor na Mãe Terra.

Na metade de cima, o algodão etéreo da liberdade; na metade inferior, a semipenumbra silenciosa no espelho sem fim. Nas nuvens, o futuro luminoso mas irracional. Nos barquinhos, a sensação uterina de que  a vida não mudará nem leva a lugar algum. No fino horizonte, a expectativa de uma transformação ou pelo menos de um choque entre o efêmero e o eterno. E a cada hora, no mesmo cenário, uma nova arte é concebida e diferentes experiências são sentidas.
Foto: Facebook

Um comentário:

Ana Teresa Soto VIdal disse...

Maravilhosa a foto! Alexandre é mestre!