quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Oficina de Fotografia Documental

Castelinho da Quinze, ângulo pelo portão da Rua Conde de Porto Alegre
O Espaço Ágape e o fotógrafo Isaumir Nascimento oferecem, por primeira vez em Pelotas, um minicurso teórico-prático sobre Fotografia Documental, a arte de registrar momentos de modo pessoal ou subjetivo. A oficina terá 5 sessões em dias contínuos, com 15 horas cronológicas, numa turma de até 20 pessoas (a partir dos 14 anos de idade).

Nascido em São Sebastião (SP), Isaumir atualmente reside na Alemanha e se encontra de passagem por Pelotas e Rio Grande. Formado em Artes Plásticas em 2002, desenvolve um trabalho pessoal em desenho e pintura. Como fotógrafo, concentra-se na produção de ensaios ficcionais (v. blogue dele).

A Oficina busca propiciar ao público o contato com a linguagem fotodocumental, discutindo as possíveis histórias e formas de contá-las, assim como as qualidades da imagem fotográfica (composição, iluminação, intenção dos elementos que constituem a fotografia, etc.). A partir da ideia de que pequenas situações podem render boas histórias, espera-se que a Fotografia como arte ganhe um novo lugar na vida dos alunos, não mais como uma tomada aleatória de imagens e sim como um modo consciente de organização e compartilhamento de experiências.

Ao longo da oficina serão analisados documentários produzidos pelos participantes dentro dos seus interesses. De forma paralela será feita a edição e o tratamento das imagens para montar uma apresentação final do curso, na forma de projeção.

Isaumir Nascimento viu assim a megaexposição Documenta 13 (Alemanha, 2012), veja mais fotos.
Programação da oficina "Fotografia Documental"
  • Quinta 5 de setembro, 19-22h — O que é um documentário fotográfico? A subjetividade do fotógrafo e a veracidade da história documental. Reconhecimento do equipamento fotográfico trazido pelos participantes. Possíveis temas de documentários.
  • Sexta 6 de setembro, 19-22h — Noções básicas de fotografia: composição, iluminação, contraluz, enquadramento, etc. Apresentação de trabalhos do ministrante. Como o cotidiano pode se transformar em material interessante para uma fotodocumentação?
  • Sábado 7 de setembro, 14h30-17h30 — Análise de imagens trazidas pelos participantes. Escolha do material que poderia ser o início de documentários fotográficos.
  • Domingo 8 de setembro, 14h30-17h30 — Introdução à edição fotográfica.
  • Segunda 9 de setembro, 19-22h — Apresentação de projetos individuais.
Cada participante deverá levar seu próprio equipamento fotográfico, seja este uma máquina analógica ou digital. Se o aluno utilizar filme, deverá gastar com a revelação e digitalização do seu material. Valor do investimento: R$ 130 (estudantes) ou R$ 160 (profissionais). Inscrições no Ágape (Anchieta 4480): 3028 4480 e 8438 4480.

Capela Nosso Senhor do Bom-Fim,  5º Distrito de Pelotas (Cascata)
Fotos: F. A. Vidal (1, 3), I. Nascimento (2)

POST DATA
5-9-13
A realização do curso foi suspensa hoje (5), até nova oportunidade, por não reunir o número mínimo de 12 participantes solicitado pelo ministrante.

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Programa Segundo Tempo


O Corredor Arte do Hospital Escola recebeu neste mês de agosto, até segunda passada (26), a mostra de desenhos “Manifestações do Sensível”, produzida pelo núcleo Pelotas do Programa Segundo Tempo.

O Programa é um projeto do Ministério do Esporte que busca contribuir à qualidade de vida e ao desenvolvimento integral de crianças e adolescentes com riscos e carências sociais (veja mais sobre o projeto).

Sua sede em Pelotas fica na Escola Superior de Educação Física da UFPel e é coordenado desde 2009 pelo professor Alexandre Carriconde Marques (v. nota da UFPel).

Este núcleo promove especificamente a inclusão social de menores com deficiências, mediante atividades esportivas e artísticas. O foco nas deficiências físicas e mentais é uma adaptação do Programa feita especialmente em Pelotas, trabalho que é considerado um modelo no contexto brasileiro. O Ministério do Esporte gravou, em fevereiro deste ano, uma reportagem que relata a experiência deste núcleo, valendo-se do esporte e da pintura (vídeo abaixo).

Atualmente, a oficina artística é conduzida pela artista visual Paloma De Leon, que trabalha nos alunos "uma relação integral entre percepção, comunicação, sensibilidade, arte, vida e inclusive com a própria comunidade em que eles vivem”, segundo ela mesma explicou ao Corredor Arte.

A exposição teve a curadoria do Grupo Superfície, coletivo de criação do qual Paloma faz parte desde seus inícios, há três anos, na cidade de Pelotas.

As atividades desta oficina artística giram em torno do aproveitamento de materiais, livre expressão, pinturas do cotidiano, desenhos, colagens, esculturas, vários tipos de suporte, preenchimento com a cor, sobreposições de procedimentos em exercícios na sala de aula.


Imagens: Corredor Arte

terça-feira, 27 de agosto de 2013

Dia do Psicólogo 2013

O Dia do Psicólogo brasileiro é celebrado hoje (27) e reservou-se totalmente para as eleições do Conselho Federal de Psicologia (v. portal do CFP).

Por primeira vez as votações são pela internet, em dois dias (26 e 27), para os que já se cadastraram virtualmente, o que permitirá conhecer o número de votos no momento de fechar-se o processo de votação. Três chapas inscreveram-se para a diretoria do CFP.

O CRP-RS (7ª região) informou que os psicólogos poderão votar desde computadores pessoais se residirem na sede (Porto Alegre), nas subsedes (Caxias do Sul, Santa Maria e Pelotas) ou em cidades próximas (até 50 km). Também poderão fazê-lo na sede ou nas subsedes, onde haverá computador disponível (v. notícia).

Como de costume, cada região determinará como festejar a data nacional da profissão, e as atividades científicas ou festivas não deverão ser nos dias das eleições. Em 2013 comemoram-se 51 anos da lei que regulamentou a Psicologia no Brasil.

A Subsede Sul da 7ª Região, situada em Pelotas, promove no sábado 31-8 a II Práxis Psi, Jornada em Comemoração ao Dia do Psicólogo, para profissionais e estudantes (inscrições pelo site). O encontro será das 9h às 16h no Hotel Curi (General Osório, 719). Mais informações (53) 3227 4197 e pelotas@crprs.org.br.

Programação completa da II Práxis Psi:
Manhã
9h – Credenciamento e Abertura
9h30 – Mesa Psicologia Social
10h30 – Mesa Psicologia da Educação e Escolar
11h30 – Intervalo almoço
Tarde
14h – Mesa Psicologia e Saúde
15h – Mesa Psicologia Organizacional
16h – Confraternização pelo Dia do Psicólogo

Também em Pelotas, a Sociedade Científica Sigmund Freud programou para quarta (28-8) às 20h a palestra "Como é ser psicólogo", com Daiane Magalhães Studzinski, e às 21h uma confraternização, para profissionais e estudantes, sócios ou não, com entrada franca.


Imagem 1: Até o tálamo
Imagem 3: Glasbergen

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Sarau na Biblioteca destaca Arnaldo Antunes


O Sarau Poético-Musical destaca, nesta terça (27-8), o músico e poeta paulista Arnaldo Antunes, atualmente com 52 anos (completa 53 na próxima segunda 2-9). Ex-integrante do grupo Titãs, Arnaldo escreve poemas, compõe canções e "desenha" poemas visuais, jogando com as potencialidades gráficas das palavras (v. o comentário de Antônio Medina Rodrigues).
"Rio: o ir" (Arnaldo Antunes)

Neste 33º Sarau, Jorge Braga apresenta a vida e obra de Arnaldo Antunes, e sua música é cantada ao vivo por Raquel Veiras, com Maurício Veiras no violão.

Como de costume nos Saraus da Biblioteca, também haverá declamação de poemas autorais, nesta ocasião com os autores convidados: Ana Isabel Correa, Carmem Nalério, Maria Amália Camacho e Pablo Arbeletche.

O público é convidado a participar no final. No salão térreo da Biblioteca Pública Pelotense, com início às 19:30 e finalização perto das 21:30. Entrada franca.


Socorro!

Socorro! Não estou sentindo nada:
Nem medo, nem calor, nem fogo.
Não vai dar mais pra chorar, nem pra rir...

Socorro! Alguma alma, mesmo que penada,
Me empreste suas penas.
Já não sinto amor, nem dor, já não sinto nada...

Socorro! Alguém me dê um coração,
Que esse já não bate nem apanha.
Por favor! Uma emoção pequena, qualquer coisa!
Qualquer coisa que se sinta...

Tem tantos sentimentos, deve ter algum que sirva,
Qualquer coisa que se sinta...
Tem tantos sentimentos, deve ter algum que sirva...

Socorro! Alguma rua que me dê sentido
Em qualquer cruzamento, acostamento, encruzilhada
Socorro! Eu já não sinto nada...

domingo, 25 de agosto de 2013

Jornalistas de Pelotas já falecidos

Com a morte do ex-jogador e narrador esportivo Luiz Carlos Martinez, terça passada (20-8), o antigo repórter Nilo Dias Tavares escreveu uma lembrança de uns 45 radialistas e jornalistas pelotenses que morreram nas últimas quatro décadas (v. texto abaixo). Sobre Martinez, leia também o artigo de Sérgio Cabral no Diário Popular.

 A primeira equipe pelotense de futsal (E.C. Pelotas): Luiz Carlos Martinez, goleiro (esq.)
Luís Rosa (Rosinha), Fernando Viana (Vianinha), Aldrovandro Dutra,
Luís Carlos Oliveira (Joca), Paulo de Souza Lobo (Galego) e Aldrovandro Loureiro (Gringo)
Em 1957, o Pelotas começava a sua história no futebol de salão da cidade. Formou a sua primeira equipe para praticar um esporte que fora trazido para Pelotas pela Agremiação Pelotense de Esportes. Na então cancha de asfalto, onde hoje está a Churrascaria Lobão, o áureo-cerúleo passou a jogar o futebol de salão, esporte que mais tarde daria muitas glórias ao clube da avenida Bento Gonçalves. [Revista "Pelotas 90 anos", citada pelo blogue Museu Virtual do Futebol]

Imprensa pelotense de luto

Certamente Deus está pensando seriamente em montar lá em cima uma emissora de rádio e quem sabe também um jornal, pois já foram tantos os amigos da imprensa escrita e falada de Pelotas que partiram desde que saí da cidade em setembro de 1975, que passa essa ideia. E lá se foram 38 longos anos.

Em 2011 visitei a cidade pela última vez e tive a oportunidade de conversar com o amigo e grande narrador esportivo, Luiz Carlos Martinez. E hoje fiquei sabendo de seu falecimento ocorrido ontem em sua residência, na rua Anchieta, centro da cidade. Uma grande perda para toda a sociedade pelotense, pois se tratava de uma pessoa muito querida.

Luiz Carlos Martinez tinha 88 anos e morreu após uma parada cardíaca. O velório aconteceu no Cemitério Ecumênico São Francisco de Paula, e o sepultamento às 19 horas, no Cemitério do Fragata.

Nesse derradeiro contato que tive com Martinez, lembro bem, eu estava acompanhado dos amigos Luiz Carlos Knopp, ardoroso torcedor do E.C. Pelotas [radialista João Carlos Knopp também morreu em 2012, v. nota de falecimento] e do repórter esportivo de meus tempos de rádio, Amir Cury. Como não poderia deixar de ser recordamos boas coisas de uma época que ficou só nas nossas lembranças.

Eu trabalhei com o Martinez na Rádio Pelotense, logo que a emissora se mudou para o Cine-Rádio, na Andrade Neves. Tínhamos uma bela equipe esportiva, comandada por mim, graças à bondade do saudoso Luiz Castro, que era o diretor da emissora. Os narradores eram o Martinez e o Brauner. Um dos comentaristas era eu. Às vezes também narrava um jogo ou trabalhava de repórter. O Renato Carvalho era um dos repórteres.

O estúdio da Pelotense em 2012
(foto de Helena Schwonke)
Aos domingos à noite, 22 horas, o Brauner, o Martinez e eu apresentávamos o programa “Resenha Esportiva Mesbla”. Quase sempre o Romeu Machado dos Santos, o “Machadinho”, que era o nosso plantão esportivo, também participava noticiando os resultados dos campeonatos de outros países.

O Brauner ria por qualquer coisa, principalmente quando o Machadinho entregava os resultados do campeonato argentino, com jogos do Huracán Buceo [antigo time uruguaio] e os gols do artilheiro “Cullione”. Eu também não resistia e caía na risada. Quem salvava a situação era o Martinez, que se mantinha sério.

Além de extraordinário profissional do rádio, Luiz Carlos Martinez foi um grande goleiro de futebol de salão, tendo conquistado muitos títulos pelo E.C. Pelotas. Aproveito para lembrar de alguns colegas da imprensa de Pelotas, não só da esportiva, que deixaram imensa saudade:
  • Jair Rodrigues, que foi narrador junto com Paulo Correia, na Rádio Pelotense, nos tempos da Félix da Cunha;
  • Phidias Galo, comentarista esportivo; 
  • Armando Leite Goulart, comentarista esportivo;
  • Honório Sinott, editor de esportes do Diário Popular;
  • Eliseu de Mello Alves, jornalista do Diário Popular e pesquisador;
  • Álvaro Piegas, repórter policial do Diário Popular [v. artigo neste blogue];
  • Irajá Nunes, brilhante jornalista [v. relato neste blogue];
  • Fernando Cunha, narrador da Rádio Universidade e repórter do Diário Popular:
  • Ernane Cavalheiro, colunista do Diário Popular e pai do jornalista Mairo Cavalheiro;
  • Victor Hugo Horta, colunista do Diário Popular;
  • Gilson Tilmann, repórter da Rádio Cultura;
  • Paulo Ribeiro, repórter da Rádio Pelotense;
  • Heriberto Reis do Nascimento, comentarista da Rádio Cultura;
  • Edmar Alan, repórter da Rádio Cultura;
  • Petrucci Filho, narrador da Rádio Cultura;
  • Romeu Machado dos Santos, o Machadinho, plantão esportivo;
  • Ramão Barros, fotógrafo do Diário Popular;
  • Dinei Avelar, plantão esportivo; 
  • José Alan, comentarista esportivo [v. nota de óbito];
  • Deogar Soares, marcou época na Rádio Tupancy [v. nota neste blogue];
  • Antônio Carlos Alves, narrador esportivo [v. nota de falecimento]; 
  • Rubens Coutinho, repórter da Rádio Cultura;
  • Luiz Castro, diretor da Rádio Pelotense; 
  • Clayr Lobo Rochefort, diretor do Diário Popular [v. reportagem neste blogue];
  • Izabelino Tavares, meu irmão; 
  • Geraldo Fagundes, locutor da Rádio Tupancy;
  • Bernardo Hobuss, repórter esportivo;
  • Abrahão Gonçalves, repórter esportivo das rádios Pelotense e Tupancy;
  • Barreto Pinto, o "homem da saudade";
  • Aires Pastorino, o homem do "Balcão Musical Mesbla", na Rádio Tupancy;
  • Imagem do site E-Cult
  • Émerson Vieira, repórter da Rádio Pelotense;
  • Miguel Tarnak da Rocha, o maestro Rochinha, da Rádio Pelotense;
  • José Carlos Sica, diretor da Rádio Pelotense;
  • Paulo de Souza Lobo, o "Galego" [foto maior acima], foi comentarista esportivo da Rádio Pelotense, além de notável técnico de futebol;
  • Ivan Aune, narrador de turfe; 
  • Caio Vieira Juruá, cronista de turfe;
  • Elias Bainy, jornalista e repórter de turfe;
  • Vilmar Tavares (foto à dir.), fotógrafo dos jornais Diário Popular e Diário da Manhã [citado neste blogue] e
  • José Salimen Júnior, de vitoriosa carreira na imprensa de Porto Alegre.
A lista é imensa. Com certeza faltaram muitos nomes, o que se deve à memória já desgastada pelos 72 anos de idade deste colunista. E também porque certamente não fiquei sabendo de todos os colegas amigos que já se foram.
Nilo Dias


Nilo Dias Tavares
Pesquisador e jornalista aposentado, nascido em Dom Pedrito (RS), em 3 de abril de 1941. Trabalhou nas empresas Caldas Júnior e RBS, em rádios, jornais, revistas e TV. Desde 1999 mora em Brasilia, onde trabalhou nas assessorias de imprensa do Ministério de Minas e Energia, da Câmara de Gestão da Crise de Energia Elétrica e da Confederação Nacional de Municípios. Mais sobre Nilo no blogue Minha vida, minha história.

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

1ª Passeata do Raul: do Guarani à Catedral

No dia 21 de agosto de 1989, uma das figuras mais emblemáticas da música brasileira nos deixava. Vítima de uma parada cardíaca, Raul Seixas morria aos 44 anos. Passados doze meses, neste mesmo 21 de agosto, fãs do cantor saíram pelas ruas de São Paulo na primeira marcha em celebração da memória do Maluco Beleza. Assim, por mais de 20 anos – sem organização, estrutura ou qualquer apoio oficial – a passeata tem ocorrido anualmente pelas ruas da capital paulista [v. fotos de 2009 e notícia da revista Época].

V. artigo de Max Cirne Uma passeata para Raul (Diário Popular, 20-8-13)
Inspirado neste evento ocorrerá, nesta quarta-feira, a 1ª Passeata do Raul em Pelotas. A concentração será a partir das 15h em frente ao Theatro Guarany. Quem teve a ideia de trazer o evento para Pelotas foi a graduanda de Ciências Biológicas da UFPel, Daniela Neris. Natural de São Paulo, a universitária explica como surgiu a iniciativa:

— Eu, como uma boa fã de Raul, participei de inúmeras passeatas em Sampa. Agora que estou morando aqui em Pelotas há quase quatro anos, não pude participar das últimas passeatas. Então surgiu a ideia de fazer uma aqui em Pelotas.

Seguindo o exemplo do que ocorre anualmente em São Paulo (com início no Teatro Municipal), a marcha vai começar com uma concentração em frente ao teatro maior de Pelotas. Nesse esquenta, os participantes são convidados a levarem seus violões e dar uma canja em homenagem ao Maluco Beleza.

Depois da concentração, a partir das 18h, o grupo seguirá rumo à Catedral Metropolitana São Francisco de Paula. Acompanhando a marcha, músicas do Raulzito serão rodadas em uma caixa de som. O evento não tem nenhum tipo de vinculação com coletivo, partido, e embora tenha vindo de uma iniciativa individual da Daniela, a passeata promete ser bem democrática. Um microfone estará à disposição pra quem quiser mandar seu recado ao maluco beleza. O evento foi todo combinado via facebook, espera-se que mais de cem pessoas participem na passeata.

Raul Seixas começou sua carreira em sua cidade natal, Salvador. Seu primeiro disco foi “Raulzito e os Panteras”, em 1968. O grande sucesso viria em 1973, com Paulo Coelho, após ter se mudado para o Rio de Janeiro [ouça aqui "Gita", disco completo de 1974, e Novo Aeon, de 1975]. Nos anos 80, Raul sofreria com depressão e alcoolismo, afastando-se dos palcos por alguns anos.

Quem o traria de volta à ativa seria o cantor, também baiano, Marcelo Nova. Em 1989, Marcelo e Raul fizeram uma grande turnê pelo Brasil, que passou pelas principais cidades do país: “Essa Metamorfose Ambulante vai fazer tua cabeça”. No dia 16 de junho o show chegou a Pelotas, no então muito ativo Teatro Avenida. Os jornais da cidade deram a notícia dando destaque para a estrela do rock que “além da incrível popularidade consegue aliar uma criatividade emocionante em seus shows”.

Nesta quarta-feira, o Maluco Beleza volta a ganhar destaque na cidade. E claro, desta vez está mais que liberado o famoso pedido: “Toca Raul!”.
Cassio Lilge


Por incrível que pareça, a passeata é uma ideia inspirada no próprio Raul Seixas, que fez em 1973 a Passeata "Ouro de Tolo", no Rio de Janeiro, ao lado do, até então amigo, Paulo Coelho.

A nossa primeira passeata foi realizada ainda com o Raulzito presente, no ano de 1985, no Centro de São Paulo. A partir de 1990, tornou-se hábito entre seus fãs prestar essa homenagem, no dia em que se completa mais um ano de sua ida ao espaço cósmico.

Em 2006, em virtude das novas leis municipais, que queriam proibir essas manifestações, fomos obrigados a ter o carro de som apenas na Sé e depois das 19 horas. Passado esse problema, organizamos uma comissão de amigos que fez com que esse evento agora figure no calendário oficial da Cidade de São Paulo.

É sempre importante lembrar que não existe um "ORGANIZADOR DA PASSEATA".

A Passeata é um evento "Espontâneo" e que não reivindica nada.

"Apenas lembra aos demais habitantes do Planeta, que Raulzito contínua mais vivo do que nunca".

Leandro P., músico 
S. Bernardo do Campo
(v. fórum em 2007)


Brechó de setembro vai para a Pediatria do Hospital Escola

A arrecadação do próximo Brechó Solidário vai beneficiar o setor da Pediatria do Hospital da UFPel, onde se precisa de novas poltronas para as mães dos pacientes. O evento será na terça 10 e quarta 11 de setembro de 2013.

O brechó de junho passado (v. postagem neste blogue) permitiu adquirir 5 poltronas reclináveis para uma enfermaria. Para completar o restante das enfermarias são necessárias mais 10 poltronas.

Solicita-se a colaboração da comunidade (até 9 de setembro, na Ouvidoria do Hospital) em doações de roupas, calçados, brinquedos, eletrodomésticos, objetos de decoração e demais peças em bom estado.

Desde 2009, o Grupo de Humanização do Hospital Escola UFPel realiza esta atividade solidária para obter melhorias para as unidades do hospital, que é o único da cidade integralmente destinado ao SUS.

terça-feira, 20 de agosto de 2013

Ciclo debaterá Psicanálise e cinema

Cada ano a Sociedade Científica Sigmund Freud organiza uma Semana de Psicanálise, ciclo de quatro ou cinco palestras sobre um tema central à luz das teorias de Freud e outros autores. Em 2013 a escolha tomou uma direção diferente: por primeira vez a Semana tomará certos filmes como inspiração para focar em temas psicanalíticos.

O livro "Life of Pi" baseou-se no conto
de Moacyr Scliar "Max e os felinos"
(v. análise da polêmica)
Terça 20: “As Raízes da Criatividade”, com Jorge Velasco, Psicanalista.
Baseado no filme "O Reencontro" (The magic of Belle Isle, EUA, 2012)
[veja aqui o filme completo dublado]

Quarta 21: “Aventuras da Psicanálise”, com Catherine Lapolli, Psicanalista.
Baseado no filme "Aventuras de Pi" (Life of Pi, EUA, 2012).

Quinta 22: “Quem matou? Quem morreu? O que morreu? E o que sobreviveu”, com Bruno Salésio Francisco, Analista Didata.
Baseado no filme "Precisamos falar sobre o Kevin" (We need to talk about Kevin, EUA-RU, 2011).
Veja abaixo o filme completo legendado.

Sexta 21: “Diz-me o que olhas, que eu te direi quem és”, com Luiz Marcírio Machado, Psicanalista.
Baseado no filme "O segredo dos seus olhos" (El secreto de sus ojos, Argentina, 2009).
[veja aqui o filme completo, sem legendas]

Todos os encontros são às 20h, na sede da Sociedade (Princesa Isabel 280), e são gratuitos para os sócios (mensalidade R$ 30).
Cada encontro: Estudantes R$ 20, Profissionais R$ 35.
O ciclo completo: Estudantes R$ 60, Profissionais R$ 120.

"Precisamos falar sobre o Kevin", legendado completo, 1h 47 de duração

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Semana do Folclore 2013


Dia Mundial do Folclore: 22 de agosto. PROGRAMAÇÃO EM PELOTAS.

Segunda 19 de Agosto

14h Oficina de Danças e Brincadeiras Folclóricas. Responsáveis: Cleyce Colins, Tauana Oxley e Sandra Silva. Local: Escola Dr. Francisco Simões (Quinze de Novembro 263).

Terça 20 de Agosto

14h Oficina de Danças Folclóricas. Responsáveis: Profª Gislene Barboza de Campos e Prof. Antonio Décio. Local: E.E.E.F. Professor Luis Carlos Corrêa da Silva (Dr. Arnaldo da Silva Ferreira 100, Fragata).

19h Webconferência “Possibilidades Pedagógicas para o Ensino do Folclore”. Responsável: Profª. Rose Miranda. Local: Agência da Lagoa Mirim (Lobo da Costa 447, ou acesso de qualquer computador conectado).

Quarta 21 de Agosto

9h Folclore no Poéticas. Responsáveis: Profª. Eleonora Santos e Ana Teresa Souza. Local: Sede da antiga CTMR.

10h e 15h30 Vivências de Capoeira Angola. Responsável: Prof. Cláudio Baptista Carle. Local: E.E.E.F. Professor Luis Carlos Corrêa da Silva (Dr. Arnaldo da Silva Ferreira 100, Fragata).

14h Encontro de Dança e Cultura - O Grande Tambor. Responsável: Mônica Borba. Local: Escola Dr. Francisco Simões (Quinze de Novembro 263).

14h Oficina de Danças e Brincadeiras Folclóricas. Responsáveis: Cleyce Colins e Sandra Silva. Local: Instituto Nossa Senhora da Conceição (Barão de Butuí 352).

Quinta 22 de Agosto

14h Oficina de Danças Folclóricas. Responsável: Profª. Jaciara Jorge. Local: EEEM. Cel. Pedro Osório (General Osório 818).

19h Palestra “O Corpo no Carnaval de Rua de Pelotas” com Prof. Thiago Amorim. Responsável: Profª. Viviane Saballa. Local: Auditório da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da UFPel (Benjamin Constant 1359)

Sexta 23 de Agosto

16h Oficina “Percussão, Corpo e Movimento”. Responsáveis: Profª Carmen Anita Hoffmann e Prof. Zé Everton. Local: Tablado (Almirante Tamandaré com Alberto Rosa, prédio dos Cursos de Dança e Teatro).

19h Oficina de Repertório Musical Folclórico para Professores de Educação Infantil. Responsável: Profª. Isabel Bonat Hirsch. Local: Colégio Municipal Pelotense (Marcílio Dias 1597)

19h30 Diálogos Contemporâneos “Desafios de Resistência Étnico-Religiosa Hoje”, com Prof. Diego Pereira e Profª Eliane Rubim. Responsáveis: Hélcio Fernandes e Leandro Haerter. Local: Sala 352, Auditório da Faculdade de Educação UFPel (Alberto Rosa 154)

Sábado 24 de Agosto

11h Ensaio Aberto de Danças Brasileiras. Responsável: Prof. Thiago Amorim. Local: Sala do Globo – Prédio UFPel (Alberto Rosa 580, antiga AABB).
Informações: Facebook e nucleodefolclore@gmail.com

Dia do Patrimônio: um sucesso que irá crescendo

Na foto de Fábio Zündler (acima), as novas luzes do relógio da torre do Mercado. O mecanismo foi ajustado há cerca de um mês mas ainda requer reparos, por sua complexidade e antiguidade. Na foto de Paula Adamoli (v. notícia da ASCOM), a abertura artística deste fim de semana, sábado (17), com tango dançado por um casal uruguaio que veio a Pelotas especialmente para o Dia do Patrimônio Histórico.

O público foi mais numeroso nas visitas guiadas, que são uma novidade positiva em nossa cidade, onde há muito para mostrar e para aprender, e pouco é ensinado. Para atrair o interesse nos shows, será preciso reforçar a estrutura física (cenários, cadeiras, alimentação) e organizar um programa mais especial do que os pelotenses já estão acostumados a ver em feiras e festivais ao longo do ano.

Bailarinos uruguaios, Claudia e Marcos, no Largo Edmar Fetter. No escasso público, a vice-prefeita Paula

6 postais para o patrimônio histórico

60 mil cartões postais foram distribuídos nos locais participantes do Dia do Patrimônio, neste fim de semana (17-18). As seis imagens, que representam as diferentes formas de patrimônio material e imaterial, foram divulgadas sexta no sítio da Prefeitura (v. notícia).

A programação total, atualizada até sexta (16), ainda pode ser acessada no blogue do Dia do Patrimônio. Foram cerca de cem atividades em dois dias, e as mais aceitas pelo público pelotense foram as visitas guiadas em prédios e locais históricos, pela sua riqueza cultural e pela falta de informação na mídia e nos currículos escolares.


Mercado Central.
Construção edificada pelo arquiteto Roberto Offer em 1850. Sofreu transformações em sua composição original, após a reforma de 1911 e o incêndio de 1969. Possui uma torre com relógio e o farol de ferro que foram importados de Hamburgo (Alemanha).

Zoólito de tubarão.

Foi encontrado próximo à Lagoa do Fragata, e representa um tubarão. Foi produzido pelos grupos indígenas que ocupavam a região, possivelmente com uma função ritualística (v. definição do Museu Nacional da UFRJ).
Este zoólito faz parte do patrimônio arqueológico da cidade de Pelotas e atualmente encontra-se no acervo do LEPAARQ da UFPel.
Um zoólite é um animal ou parte de animal petrificado ou fossilizado. Um zoólito é um artefato de pedra com forma de animal (v. Wikipedia em espanhol).

Teatro Sete de Abril.

Inaugurado em 1834, um dos mais significativos documentos existentes de uma época de grande desenvolvimento econômico. Foi palco de muitos acontecimentos da vida cultural. O projeto do Sete de Abril, em estilo renascentista, teve como autor o engenheiro Eduardo Kreschmar.


Doces de Pelotas.

A tradição doceira de Pelotas está vinculada ao crescimento econômico das charqueadas, que proporcionou um desenvolvimento de hábitos europeus na cidade.
A produção dos doces conta com a contribuição de diferentes etnias: africana, portuguesa, alemã, italiana, pomerana e francesa.


Arroio Pelotas, patrimônio natural, e a Travessia da Pelota.

A pelota era uma embarcação de couro utilizada para a travessia de pessoas e mercadorias através da água.
No livro "Viagem pitoresca e histórica ao Brasil” (1835) Jean-Baptiste Debret já a descreveu como sendo de uso corrente no sul do país, na região das charqueadas. Desde o bicentenário da cidade o Parque Gaúcho de Gramado promove a Travessia Cultural no arroio Pelotas.


Regional Avendano Júnior, patrimônio musical de Pelotas.

O legado de Avendano Júnior como intérprete perdura e suas composições inéditas ainda serão gravadas e divulgadas, como é o caso de "Liberdade", choro em homenagem ao bar onde tocou desde os anos 70 (esta frase do postal foi tomada literalmente do post em que noticiei a morte de Avendano em 2012).

Joaquim Assumpção Avendano Júnior e seu Regional receberam o título de Instituição Emérita pelos relevantes serviços prestados à cultura pelotense.
Texto e fotos: ASCOM

domingo, 18 de agosto de 2013

Psicóloga cria mandalas e desenhos em vidro

"Lucidez", mandala sobre vidro (25 cm) de Maria Helena Conceição Silveira
Com a exposição “Aventura das Cores”, a psicóloga Maria Helena Conceição Silveira se iniciou na exploração do mundo da arte. O Corredor Arte do Hospital Escola UFPel mostrou, em julho de 2013, as pioneiras obras desta novel artista: mandalas e desenhos pintados sobre vidro.

Mandala dos 7 Chacras, pintura sobre vidro (25cm)
Maria Helena baseia seu trabalho nos estudos de Carl Jung (1875-1961), psiquiatra suíço que formulou o conceito de inconsciente coletivo e, entre outras coisas, descobriu que as mandalas expressam conteúdos interiores do ser humano.

Jung viu que seus pacientes produziam, de forma espontânea, desenhos de mandalas, sem ter conhecimento anterior sobre elas. Segundo ele, isso significa um progresso no caminho do autoconhecimento e da individuação. Ele observou o efeito de autocura das mandalas, inclusive em si mesmo, e verificou uma dupla eficácia destes desenhos: enriquecer a ordem psíquica, se ela já existe, ou restabelecê-la, se ela desapareceu.

A psicóloga entrou no terreno da criação depois de um longo tempo de encantamento com a pintura, como observadora do que outros faziam. Para começar a construir, escolheu a transparência do vidro como suporte e a exploração de conteúdos internos como conteúdo.

"Noite", pintura sobre vidro (30x20cm)
Para ela, a pintura no vidro lança o desafio e a liberdade de deixar as cores seguirem seu rumo e seu ritmo. Ela declarou o seguinte, como reflexão sobre seu método:

— Mesmo quando faço um falso vitral, com um contorno pré-definido, eu preciso deixar a tinta livre para poder seguir seu curso e se aconchegar nas margens que a delimitam. Se eu não conseguir me conter nessa interferência, as cores não me darão uma boa resposta. E este é um dos grandes lances da vida. Como me segurar ante a vontade e o condicionamento cultural de controlar racionalmente o que estou pintando?

Maria Helena garante que em todas estas vivências, a satisfação é indescritível.

— Qualquer um de nós que tenha afinidade com esses materiais (tintas, cores, pincéis, vidro) pode também arregaçar as mangas, abrir as janelas da casa e da alma para ventilar os resíduos tóxicos das tintas e dos entraves pessoais, como o medo de tentar, a ideia pré-fabricada de não ter condições, de não ter criatividade, e se lançar na aventura das cores.

"Tarde de inverno", pintura s/vidro (15x20cm)
Para a psicóloga, as cores e seus significados são fundamentais. Segundo a cromoterapia, todas as cores têm propriedades que nos afetam diretamente, tanto física — cada cor vibra em um órgão, reequilibrando-o, de forma curativa — quanto emocionalmente, interferindo em nosso humor e nosso ânimo.

Sobre o Corredor Arte, Maria Helena filosofa:

— Sabe quando a gente vai caminhando, envolvidos em sentimentos desconfortáveis, de tensão, preocupação, medo, muitas vezes sem perceber com muita nitidez o que se passa à volta? E aí, repentinamente, somos surpreendidos por algo fora de nós que nos puxa para outra gama de sentimentos? E, momentaneamente, ficamos absorvidos por esses outros estímulos “do bem” e quando retomamos nossa caminhada, parece que estamos um pouquinho mais aliviados... Eis um dos objetivos de um espaço de arte dentro de uma instituição em que muita alegria e realização acontecem. Mas também, onde passamos por situações desafiadoras.

Maria Helena Conceição Silveira
— O Hospital Escola merece parabéns por manter essa prioridade e por valorizar tudo isto que o Corredor Arte representa. Manter por tantos anos, um espaço de arte dentro do Hospital, se constitui num esforço persistente de fazer valer o olhar para o belo, para a criatividade, tornando possível aos que ali passam, uma pausa para conectar com outras sensações, um estímulo à conexão consigo mesmo, auxiliando na superação dos momentos difíceis, fazendo crer que é possível otimismo e alegria, mesmo que talvez numa das situações mais complexas e desafiadoras da vida.

Texto e foto da artista: Agência Completa
Imagens das obras: F. A. Vidal:

Dia do Patrimônio: 20 encontros educativos

O patrimônio cultural imaterial (oficina). Debate sobre políticas públicas  de preservação do Patrimônio Cultural Imaterial (PCI) na América Latina, com atenção nas ações brasileiras. Com Maria Letícia Mazzucchi Ferreira e Darlan De Mamann Marchi. Inscrições até 14/08, 20 vagas.
Sexta 16 de agosto, 8h30-11h30 e 14h-17h. Sala da UFPel: Lobo da Costa 1877, 3° piso.

Caravana da Arquitetura (mesa-redonda). Arquitetos gaúchos debatem sobre a preservação do patrimônio cultural urbano. Sexta 16 (noite) e Sábado 17 (manhã). Instituto João Simões Lopes Neto: Dom Pedro II 810.

Patrimônio Arqueológico Pré-Colonial de Pelotas (palestra). Com o Prof. Rafael Milheira (UFPel). Sábado 17, 15h. Centro Cultural Adail Bento Costa: Praça Cel. Pedro Osório nº 2.

Performances Cotidianas (palestra). Marion Velasco conversa sobre seu trabalho e pesquisa na área de Arte e Design. Sábado 17, 14h. Museu da Baronesa: Domingos de Almeida 1490.

Gerenciamento de Riscos em bens patrimoniais (palestra). Com Rodrigo Pedersolli. Sábado 17, 10h. Museu da Baronesa: Domingos de Almeida 1490.

Cidades Criativas e uma perspectiva local (oficina). Cássia Fernandes apresenta os conceitos de Cidades Criativas e ambientes criativos. Sábado 17, 14h. centro de Integração do Mercosul: Andrade Neves 1529.

Diálogos sobre Patrimônio Cultural (oficina). Pesquisa, ensino e possibilidades de utilização do patrimônio cultural nas atividades da sala de aula. Com Natália Gonçalves e Olívia Nery. Sábado 17, 8h30-11h30. MALG: General Osório 725.

Teatro de Rua (oficina). Com o grupo UEBA, de Caxias do Sul. Sábado 17, 10h. Praça Coronel Pedro Osório nº 6.

Produção Cultural no Brasil (oficina). Com o grupo UEBA, de Caxias do Sul. Sábado 17, 12h. Praça Coronel Pedro Osório nº 6.

Hora do Conto da Vanguardinha. Leitura de contos com atividade lúdica. Sábado 17, 15h. UCPel: Gonçalves Chaves 373.

Hora do Conto da Vanguardinha. Leitura de contos com atividade lúdica. Domingo 18, 15h. Praça Coronel Pedro Osório nº 6.

Swing Poi (oficina). Aulas para crianças e adultos, para estimular o interesse pela arte, esporte e expressão corporal. Com Cássia Fernandes. Domingo 18, 14h. Parque da Baronesa, Domingos de Almeida 1490.


Pelotas 13 Horas. Programa radial de debates, coordenado pelo radialista Claiton Rocha. Sábado 17 e Domingo 18, 10h-15h. Salão Amarelo da Associação Comercial: Sete de Setembro 274.

Respirando junto (evento múltiplo). Oficinas sobre fotografia e literatura, debates sobre arte contemporânea, mostras, vídeos, apresentações musicais. Curadoria de Camila Hein.
Sábado 17 e Domingo 18, 14h-19h. Triplex Arte Contemporânea: Santa Cruz 2338.

Mercosul Cultural (palestra), dentro de um evento múltiplo, que inclui visita guiada, exposição, filmes, sarau e apresentações artísticas. Sábado 17 e Domingo 18, 9h-12h e 14h-20h. Centro de Integração do Mercosul, Andrade Neves 1529.

Confraternizações

Sabor Pelotas (gastronomia). Execução de pratos históricos com ingredientes típicos da cidade, no formato de aula-show, com degustação. Sábado 17 e Domingo 18, 13h30–17h30. C. C. Adail Bento Costa: Praça Coronel Pedro Osório, nº 2.

Olhando as nuvens (ação artística). Convite para tomar chá e ouvir música para admirar a vista panorâmica da cidade. Sábado 17, 15h-17h. Terraço da Associação Comercial: Sete de Setembro 274.

Copa Nobre Bicicletas de MTB. Corridas de MTB crianças e adultos, masculino e feminino. Domingo 18, 9h-13h. Parque Dom Antonio Zattera.

Confraternização no CTG (evento múltiplo). Almoço (carreteiro e feijoada), apresentações, brechó tradicionalista, teste de visão e mateada. Domingo 18, 12h-18h. C.T.G. Thomaz Luiz Osório: Duque de Caxias 1319. R$10.

BRA-PEL. Jogo Brasil-Pelotas pela Taça Fronteira Sul da Copa Federação Gaúcha de Futebol. Domingo 18, 15h. Estádio Bento Freitas.

sábado, 17 de agosto de 2013

Dia do Patrimônio: 33 exposições de artes visuais



Educação Patrimonial. Imagens e textos de projeto de restauro.
Sábado 17, 10h-12h. Esplanada do Teatro Sete de Abril.

Espaço Cultural Laneira. Arte contemporânea dos acadêmicos do Centro de Artes da UFPel.
Sábado 17, 10h-16h. Espaço Cultural e Artístico Laneira: Duque de Caxias 144.

Interseções: A corda e o mar. Gravuras em metal e ferro da artista paulista Ana Alice Francisquetti.
Sábado 17, 10h-18h. Ágape Espaço de Arte: Anchieta 4480.

Mesa-escrivaninha de Helene Sacco
Gabinete-Ilha (ação artística). O objeto Mala-Escrivaninha (dir.) é um gabinete portátil para construir uma experiência de tempo, observação e criação no local. Projeto da artista e pesquisadora Helene Sacco (veja o blogue).
Sábado 17, 14h-17h. Casa do Lago na Praça Coronel Pedro Osório.

Arte Funerária. Projeção de fotografias de Daniel Konrath.
Domingo 18, 13h30–14h30. Museu da Baronesa: Domingos de Almeida 1490.

Mercosul Cultural (evento múltiplo). Exposição sobre os países do Mercosul, com apresentação artística (tango, samba, etc.).
Sábado 17 e Domingo 18, 9h-12h e 14h-20h. Centro de Integração do MERCOSUL: Andrade Neves 1529.

Estudos de Volumes: o Patrimônio Histórico e Cultural na área de Design. Exposição de projetos tridimensionais, desenvolvidos no Laboratório Estudos Volumétricos do IF Sul-Rio-Grandense, que abordou o tema “Monumentos Históricos de Pelotas”.
Sábado 17 e Domingo 18, 9h-18h. IFSUL: Praça 20 de Setembro 455.

Artistas Pelotenses / Artistas de Pelotas. Obras de artistas que nasceram em Pelotas ou se fixaram na cidade e cujas produções marcaram o cenário local das artes plásticas.
Sábado 17 e Domingo 18, 10h-19h. Museu de Arte Leopoldo Gotuzzo (MALG): General Osório 725.

Via Sacra, quadro de Emilio Sessa (N.Hamburgo)
Painéis de Emílio Sessa (esq.). 14 painéis com fotos e legendas ilustrativas da vida e obra do pintor italiano de artes sacras Emilio Sessa.
Do Sábado 10 ao Domingo 18, 11h-17h. Catedral Metropolitana São Francisco de Paula.

A medida do gesto. Curadoria de Ana Albani com obras do acerto do Museu de Arte Contemporânea do Rio Grande do Sul.
Sábado 17 e Domingo 18, 10h-17h. Praça Coronel Pedro Osório nº 6.

Pelotas Ilustrada. O Atelier Choer faz uma leitura visual da cidade, em 15 ilustrações de Pelotas e sua arquitetura.
Sábado 17 e Domingo 18, 10h-17h. Centro Cultural Adail Bento Costa: Praça Coronel Pedro Osório nº 2.

Respirando junto (evento múltiplo). Exposição e debates sobre arte contemporânea incluindo mostras, vídeos e apresentações musicais. Curadoria de Camila Hein. Informações: triplexcontemporanea@gmail.com
Sábado 17 e Domingo 18, 14h-19h. Triplex Arte Contemporânea: Santa Cruz 2338.

Mostras históricas

Artistas de Pelotas: fotografias e posters sobre apresentações de artistas e grupos pelotenses no palco do Sete de Abril em décadas passada.
Sábado 17, 10h-17h. Memorial Teatro Sete de Abril: Quinze de Novembro 560-A.

Memória da Moda. Peças de roupas desde o século XIX até a década de 1930.
Sábado 17 e Domingo 18, 10h-18h. Museu da Baronesa: Domingos de Almeida 1490.

Recuperando Artes e Ofícios. Exposição de trabalhos do curso de qualificação de mão-de-obra em restauração, financiado pelo Programa Monumenta.
Sábado 17 e Domingo 18, 10h-17h. IFSUL: Praça 20 de Setembro 455.

Patrimônio arqueológico pré-colonial. Materiais de sítios arqueológicos pré-coloniais estudados na região de Pelotas.
Sábado 17 e Domingo 18, 10h-17h. Centro Cultural Adail Bento Costa: Praça Coronel Pedro Osório nº 2.

Deusas chinesas, do antiquário
Ricardo Osório Magalhães
Feira de Antiguidades (dir.). Exposição de objetos de arte organizada por Ricardo Osório Magalhães, Jussara Prates Castro e Paulo Leal.
Sábado 17 e Domingo 18, 10h-17h. Calçadão da Lobo da Costa, entre Félix da Cunha e Gonçalves Chaves.

Passado e Presente. Mostra de objetos, livros, jornais e revistas de antepassados da Família Casaretto e Mostra da produção artística atual dos descendentes, com oficina de técnicas de pintura.
Sábado 17 e Domingo 18, 10h-18h. Ateliê Giane Casaretto: Quinze de Novembro 871.

Germanismo e Germanidade. Exposição organizada pelo Instituto Histórico e Geográfico.
Sábado 17 e Domingo 18, 10h-18h. Museu Histórico da Biblioteca Pública Pelotense: Praça Coronel Pedro Osório 103.

Pinturas Decorativas. Exposição do curso de Conservação e Restauro da UFPel.
Sábado 17 e Domingo 18, 10h-17h. Sala Frederico Trebbi (Prefeitura): Praça Coronel Pedro Osório 101.

Trajes das Cortes da FENADOCE. 30 manequins com os trajes das rainhas e princesas da Feira Nacional do Doce.
Sábado 17 e Domingo 18, 10h-17h. Spazio Auguri: Sete de Setembro 151.

20 anos de PB. Exposição sobre a disciplina de Técnicas Retrospectivas: projeto de arquitetura e urbanismo da FAUrb/UFPel e sua experiência nas cidades da região sul do Estado.
Sábado 17 e Domingo 18, 10h-17h. Clube Caixeiral: Praça Coronel Pedro Osório 106.

Maquetes de Prédios Históricos. Realização dos alunos do curso de Arquitetura e Urbanismo da UCPel.
Sábado 17 e Domingo 18, 10h-17h. Mercado Central.

Documentação do Restauro do Casarão 6. Organizada pelo Setor de Memória e Patrimônio da SECULT.
Sábado 17 e Domingo 18, 10h-17h. Praça Coronel Pedro Osório nº 6.

Artesanato

Patrimônio Histórico. Pirogravura de prédios históricos de Pelotas e decupagem sobre caixa.
Sábado 17, 10h-17h. Calçadão da Quinze de Novembro

Feira Dominical. Mais de 180 artesãos expõem criações em artesanato e trabalhos manuais.
Domingo 18, 12h-18. Canteiro central da Avenida Bento Gonçalves.

No Más II. Feira de estilos ao estilo do Madre Mía.
Domingo 18, 16h. Restaurante Madre Mía: Santa Cruz 2200.

Artesanato. Exposição dos integrantes da Associação de Artesãos de Pelotas.
Sábado 17 e Domingo 18, 10h-17h. Mercado Central.

Doces Ideias. Lembranças de Pelotas sobre o Patrimônio Histórico local.
Sábado 17 e Domingo 18, 10h-17h. Mercado Central.

Sociedade Espírita Assistencial Dona Conceição integra-se ao Dia do Patrimônio (evento múltiplo). Exposição e bazar de trabalhos artesanais, exposição de fotos relativas à Sociedade, bar e cafeteria.
Sábado 17 e Domingo 18, 10h-17h. Spazio Auguri: Sete de Setembro 151.

sem classificação

Varal poético foi uma intervenção no pátio do Casarão nº 2:
poesia na forma visual e no conteúdo literário
Varal da Poesia (dir.). Exposição de poemas de autores pelotenses organizado pela Revista Mandinga.
Sábado 17 e Domingo 18, 10h-17h. Centro Cultural Adail Bento Costa: Casarão na Praça Coronel Pedro Osório nº 2.

Luzes no relógio da torre. Inauguração da iluminação permanente do relógio da torre do Mercado Central.
Sábado 17, 18h. Mercado Central.

Estreia de pilchas da Invernada Mirim. Jantar com estreia de pilchas e coreografia de entrada.
Sábado 17, 21h. C.T.G. Thomaz Luiz Osório: Duque de Caxias 1319.

Imagens: Facebook (1), H. Sacco (2), Flickr (3). Retrô (4), Duda Keiber (5)

sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Poema para um teatro calado


Teatral ... Mente

Somos deste teatro ... deusas e deuses
Neste palco estupefacto
Nestes diálogos mal conectados ... sorrisos e choros precipitados

Quando? Onde? Como? Por quê?
Personas sociais ... as quais interpretamos
sem saber/querer

[TRAVESSÃO] O teu fatalismo trágico
: sussurrou Melpômene

[TRAVESSÃO] O teu deboche fatalístico
: retrucou Tália

Quem abriu os sete ... personagens ?
Onde está nosso palco?
Até quando será negado este representar?
... nos será negado ?

A distância entre a vontade de fingir e o interpretar ... há

Afasta-te, Tália
Aproxima-se a tragédia de um povo sem palco

sete ... sete ... sete

Abriu? Reabriu?

Nesse cotidiano palco estúpido
Personagens sociopatas calados ... aturdidos
Neste nosso fatídico espaço cênico

E o que sabemos desta tragédia ?
... que amanhã é um novo dia ...

[TRAVESSIA]

ANASTTACIO N.
São Paulo - SP

Fotos: F. A. Vidal

Dia do Patrimônio: 30 shows na programação

A programação do Dia do Patrimônio 2013, comemorado em Pelotas este fim de semana, traz 30 espetáculos, em 9 locais, incluindo música, dança, teatro e cinema.

Em eventos múltiplos também haverá apresentações de vídeos, música e dança, sábado e domingo: no Centro do Mercosul (a partir das 9h e das 14h) e no Triplex Arte Contemporânea (Santa Cruz 2338, a partir das 14h).

Os organizadores destacam a apresentação do casal Claudia de Angelis e Marcos Cañete, bailarinos de tango enviados pelo governo do Uruguai especialmente para o Dia do Patrimônio de Pelotas. Suas apresentações estão anunciadas para sábado e domingo no Largo do Mercado e no Parque da Baronesa (ver programação completa). 

Sábado 17
Claudia e Marcos obtiveram o 2º lugar
no Mundial de Tango subsede Uruguai

11h — Apresentação de Capoeira dos alunos do Professor Sombra. Calçadão da Andrade Neves.

13h  Casal uruguaio de bailarinos de tango. Largo do Mercado.

13h30  Cia 1° Ato, dança com Tavane Viana. Largo do Mercado.

14h  Escola Dr. Franklin Olivé Leite (Banda Marcial, CTG Antônio Caringi, Grupo de Dança). Largo do Mercado.

14h Serginho e a Vassoura. Esplanada do Teatro Sete de Abril.

15h  “O Bom Quixote”, Grupo de teatro UEBA (Caxias do Sul). Largo do Mercado.

15h  Casal uruguaio de bailarinos de tango. Parque da Baronesa.

15h  Apresentação de capoeira com Contra-Mestre Jarrão e a participação de crianças de três bairros (Navegantes, Dunas, Z3). Escola da Colônia Z3.

15h15  Fernanda Martins. Parque da Baronesa.

16h — Casal uruguaio de bailarinos de tango. Largo do Mercado.

16h — Banda The Woods. Parque da Baronesa.

16h30  Banda União Democrata. Largo do Mercado.

17h — Vicente Pimentero. Largo do Mercado.

17h  Banda Champagnota (veja reportagem de 2012). Parque da Baronesa.

17h — Capoeira Angola, roda de capoeira com Professor Cabeleira. Quadrado (Doquinhas).

17h  Intervenções de dança contemporânea junto ao patrimônio edificado. Coordenação de Berê Fuhro Souto. Biblioteca Pública Pelotense.


Domingo 18

13h  Marco Gottinari (vídeo acima). Parque da Baronesa.

14h  Manifesto RS. Largo do Mercado.

14h  Dico Keiber. Parque da Baronesa.

14h30  Filmes de curta-metragem de Eleonora Loner Coutinho: "Estados Unidos", "Noli me tangere" e "Maria Clara". Museu da Baronesa.

15h  Dança Oriental com estilo Tribal e música, teatro e poesia com o Circo sem Lona. Parque da Baronesa.

15h — Concerto Instrumental de Inverno. Direção artística de Leonardo Oxley. Catedral Metropolitana São Francisco de Paula.

15h  D.Mix Charme Rappers. Largo do Mercado.

15h — "Candiota Natural", documentário da produtora Rastro Selvagem, e diálogo com os realizadores. Museu da Baronesa.

15h30  Banda Furiosa. Parque da Baronesa.

16h — "O Liberdade", documentário da produtora Moviola (dir.). Museu da Baronesa.

16h  Anjos e Querubins. Largo do Mercado.

16h  Casal uruguaio de bailarinos de tango. Parque da Baronesa.

16h  Muzambê. Coreografia de Carolina Pinto especialmente criada para o Dia do Patrimônio. Biblioteca Pública Pelotense.

16h30  Musa Híbrida. Parque da Baronesa.

Imagens: Facebook (1), Agustín Fernández (2) e Moviola (3)

quarta-feira, 14 de agosto de 2013

Primeiros anúncios do IV Festival SESC de Música


O Festival Internacional SESC de Música de Pelotas iniciou sua etapa de inscrições e publicidade para a 4ª edição, a realizar-se de 19 a 31 de janeiro de 2014. O evento é uma escola de verão para músicos de todo o mundo, que se apresentam no mesmo período de preparação, na média de 4 espetáculos por dia, incluindo solos instrumentais e vocais, música de câmara, sinfônica, ópera e chorinho brasileiro.

Dia do Patrimônio: 26 visitas guiadas

No fim de semana em que se comemora o Dia Nacional do Patrimônio Histórico (17 de agosto), haverá em Pelotas uma centena de atividades gratuitas, entre shows, exposições, palestras, visitas guiadas (ver programação completa).

Veja a seguir quais prédios e espaços do patrimônio estarão abertos a visitação e com guia de monitores — todas as visitas são gratuitas, exceto as duas últimas opções da lista.

Templo das Águas, Colônia São Manoel, no 8º Distrito de Pelotas (Rincão da Cruz)
Templo das Águas nos pés descalços da história — passeio guiado na Colônia São Manoel (veja como chegar). Contatos: (53) 3224 6014.
Horário: Sábado 17, 9h-17h.

Sítios arqueológicos pré-coloniais — passeio guiado com Rafael Milheira (prof. UFPel) pelo Pontal da Barra. Ponto de início: em frente ao trapiche do Valverde.
Horário: Domingo 18, 14h.

Charqueada São João — visita guiada. Para grupo de 40 pessoas, mediante apresentação de senhas que serão distribuídas antecipadamente no posto de informações turísticas no Mercado Central. Local: Estrada da Costa 750, Areal.
Horário: Domingo 18, 17h.

Museu do Saneamento: Andrade Neves esquina Pinto Martins, futuras instalações do Museu do Saneamento (SANEP, Serviço Autônomo de Saneamento de Pelotas).
Horário: Sábado 17, 14h-17h

Centro Histórico

Cúpula da Caixa d'Água, em restauração
Caixa D´Água, pavimento superior — visita guiada, com o professor Daniel Acosta. Local: Praça Piratinino de Almeida.
Horário: Domingo 18, 14h-16h.

Sobrado do Barão Alves da Conceição — visita guiada. Local: Quinze de Novembro 702, atualmente Loja Renzo 15. Horário: Sábado 17, 10h-17h.

Prédio do século XIX, antigo Asilo de Órfãs, atualmente Faculdade de Tecnologia do SENAC, com corredor em escaiolas. Local: Gonçalves Chaves 602.
Horário: Sábado 17, 9h-12h.

Conservatório de Música — visita guiada pelo prédio, onde estão expostos quadros de ex-diretores e de artistas que ali se apresentaram, bem como esculturas e mobiliário da época da fundação (1918). Estará a venda o livro “História Iconográfica do Conservatório de Música da UFPel”. Local: Félix da Cunha 651.
Horário: Sábado 17, 10h-16h.

Antigo sítio da Freguesia — passeio guiado, com Ester Gutierrez, pelo sítio da fundação em 1812 da Freguesia São Francisco de Paula, povoação urbana que deu origem à cidade de Pelotas. Local: Praça José Bonifácio.
Horário: Sábado 17, 10h-11h.

Sobrado da família Moreira Ribas (SEBRAE) — visita guiada (espaço com Namoradeira e quadros dos antigos proprietários). Local: Félix da Cunha, 616 e 618.
Horários: Sábado 17 e Domingo 18, 10h-17h.

Biblioteca Negra de Pelotas. Criada em 2006, foi impulsionada pelo Grupo de Estudos Negros SANGOMA. Local: Clube Cultural Fica Aí Pra Ir Dizendo, Marechal Deodoro 368.
Horários: Sábado 17 e Domingo 18, 13h30 - 17h30.

Ao redor do Mercado Central

Mercosul Cultural — visita guiada (histórico do prédio/referências da trajetória de Simon Bolívar e seu papel para a história da América Latina). Local: Prédio do Centro de Integração do Mercosul da UFPel (Andrade Neves 1529).
Horários: Sábado 17 e Domingo 18, 9h-12h e 14h-20h.

Loja da Associação dos produtores de doces. Informação sobre a indicação de procedência dos doces de Pelotas e também sobre o processo do Doce de Pelotas como Patrimônio Imaterial da cidade. Local: Mercado Central.
Horários: Sábado 17 e Domingo 18, 9h-18h.

Prédio do Liceu — visita guiada. Local: Praça Sete de Julho 180.
Horários: Sábado 17 e Domingo 18, 10h-17h.

Ao redor da Praça Coronel Pedro Osório

Adorno na fachada do Casarão nº 8, após restauração
Casarão nº 8 — visita guiada com apresentação da casa, sua história, o restauro e o projeto do Museu do Doce. Local: Praça Coronel Pedro Osório, 8.
Horários: Sábado 17 e Domingo 18, 14h-18h.

Casa dos Assumpção — visita guiada. Local: Félix da Cunha 570.
Horários: Sábado 17 e Domingo 18, 10h-17h.

Quartel Farroupilha — visita guiada. Local: Félix da Cunha 603.
Horários: Sábado 17 e Domingo 18, 10h-17h.

Grande Hotel — visita guiada. Local: Praça Coronel Pedro Osório 51.
Horários: Sábado 17 e Domingo 18, 10h-17h.

Prefeitura Municipal de Pelotas — visita guiada ao Gabinete do Prefeito e ao Memorial dos Ex-Prefeitos. Local: Praça Coronel Pedro Osório 101.
Horários: Sábado 17 e Domingo 18, 10h-17h.

Museu da Biblioteca e "Casa do Livro" — visita guiada ao Museu Histórico da Biblioteca Pública  e à Casa do Livro que abriga a exposição "Germanismo e Germanidade". Local: Praça Coronel Pedro Osório 103.
Horários: Sábado 17 e Domingo 18, 10h-18h.

Monumentos de Ferro — passeio guiado  e sessão de autógrafos com José Francisco Alves, autor do livro "Fontes D’Art no Rio Grande do Sul".  Passeio em transporte inclui: Caixa D´água, Sentinela Farroupilha e Monumento ao Colono. Ponto de início: Praça Coronel Pedro Osório (Chafariz das Nereidas).
Horário: Sábado 17, 15h (passeio) e 17h (sessão de autógrafos).

Patrimônio, cultura e cidade: Pelotas, um diálogo de influências e tradições — passeio guiado pelo entorno da praça. Falar do pelourinho, das senzalas domésticas, dos três casarões, Casa da Banha, Teatro Sete de Abril, Biblioteca, Prefeitura, Prédio das Finanças, Mercado, ICH, Mercosul. Local de saída: Centro de Integração do Mercosul (Andrade Neves 1529).
Horários: Sábado 17 e Domingo 18, 9h-12h e 14h-20h.

Arquitetura no Centro Histórico — passeio guiado. Roteiro do SEBRAE mediado pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo. Ponto de início: Praça Coronel Pedro Osório (em frente à prefeitura).
Horários: Sábado 17, 10h e Sábado 17, 14h.

Clube Caixeiral — visita guiada. Local: Praça Coronel Pedro Osório 106.
Horários: Sábado 17 e Domingo 18, 10h-17h.

Teatro Guarani (1921) tem visitas por R$5 
Teatro Guarani — visita guiada (R$ 5 por pessoa), onde será apresentada a história, o acervo e os Camarins Artísticos (redecorados de forma temática). Contatos: (53) 3225 7636 e 3305 9384. Local: Lobo da Costa 849.
Horários: Sábado 17 e Domingo 18, 14h; 15h; 16h; 17h.

Terra Sul Turismo conta a História e a Cultura de Pelotas — pacote turístico (R$130 à vista ou pagamento em 3 vezes), passeio guiado de 10 horas de duração, com visitas à Catedral, Mercado, Teatro Guarani, Casarão 8 e Biblioteca Pública, incluindo almoço na Charqueada São João e café colonial na Praia do Laranjal. Saída às 9h da Terra Sul Turismo (Sete de Setembro 238, quase esquina Anchieta). Contatos: 53 3227 9973 ou 53 3227 6371.
Horário: Domingo 18, das 9h às 19h30.

Fotos: Roque Oliveira (2), Carlos Queiroz (3), F. A. Vidal (4), Facebook (1 e 5)

POST DATA
17-8-13
O Diário Popular de ontem (16) menciona 32 locais com visitas guiadas:
  • em bairros: Castelo Simões Lopes, Museu da Baronesa, CTG Coronel Thomaz Luiz Osório, Espaço Cultural e Artístico Laneira, IF-Sul;
  • no centro histórico: Teatro Guarani, Instituto J. Simões Lopes Neto, Conservatório de Música, Antigo Jockey Club (Spazio Auguri), Clube Fica Aí, Solar Barão da Conceição, Catedral, Faculdade SENAC, Museu de Arte Leopoldo Gotuzzo, Atelier Giane Casaretto, Laboratório Rouget Peres, Associação Comercial, SEBRAE, Triplex Arte Contemporânea, Memorial Sete de Abril;
  • Pç Sete de Julho: Mercado, Liceu UFPel, Centro de Integração do Mercosul;
  • Pç Osório: Casarões 2, 6 e 8, Prefeitura, Grande Hotel, Casa dos Assumpção, Antiga Casa da Banha, Biblioteca Pública, Clube Caixeiral.