quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

O menino sírio foi ao céu


O muro de Berlim foi abaixo a 9 de novembro de 1989. Um grande monumento à vergonha. Outros muros, entretanto, embora invisíveis, são erguidos atualmente, dividindo o mundo entre ricos e pobres. O drama dos refugiados enodoa a civilização que conheceu o Século das Luzes (XVIII), Disso, porém, parece não saber, pois continua pisoteando as ideias implementadas pelo iluminismo, que teve sua maior força na França, influenciando o mundo a nível cultural, social, político e espiritual.

A pintura"Operação resgate" (acrílica s/tela 46x61) nasceu de minha indignação ao ver a fotografia do menino sírio Aylan Kurdi, de três anos (que aqui aparece nos braços da Virgem Maria), morto à beira da praia turca de Ali Hoca (v. notícia de setembro de 2015). Irrefutável prova de que os "muros" invisíveis estão aí, separando as nações, não só por questões financeiras, mas por diferenças étnicas e religiosas. Uma estupidez inconcebível!
Manoel Soares Magalhães
Facebook

Nenhum comentário: