quarta-feira, 5 de novembro de 2014

A história do maestro Sérgio Sisto


Natural de Porto Alegre, o maestro Sérgio Sisto começou sua formação musical aos 15 anos na Escola de Música da OSPA, sob a orientação da professora Lory Keller. Desde criança, já participava no coro da Igreja Mórmon, e passou a estudar também viola. Venceu por cinco vezes o concurso Jovens Solistas. Participou da série Concertos para a Juventude e em diversas temporadas da OSPA, sob a regência de maestros como Tulio Belardi, Arlindo Teixeira, Diogo Pacheco e Eleazar de Carvalho, nas principais salas e casas de óperas e concertos do Brasil.

Em 1988, foi selecionado pela United States Information Agency (USIS), junto a outros jovens latino-americanos, para representar o Brasil como Jovem Adido Cultural nos Estados Unidos, apresentando-se no New World School of Music em Miami, além de receber bolsa de estudos na Manhatan School of Music em Nova Iorque. No Coro Ópera Brasil, trabalhou com assistente do maestro Silvio Barbato. Deste trabalho em parceria com a Orquestra Sinfônica Brasileira seguiram-se diversas apresentações.

Como cantor lírico e regente auxiliar, atuou no Teatro Municipal de São Paulo, Teatro Municipal do Rio de Janeiro e Teatro Amazonas, em óperas como Andrea Chenier, Manon Lescaut, Un Ballo in Maschera e Samson et Dalilah. No Rio de Janeiro, por três anos, foi preparador e co-repetidor de óperas e oratórios em produções com Isaac Karabtchevsky e Eugene Kohn. Contracenou com figuras como: Plácido Domingo, Giuseppe Giacomini, Justino Diaz. De 1991 a 1993, atuou em óperas no Teatro Municipal de São Paulo sob a regência de John Neschling, Alessandro Angiorgio e Tulio Colaccioppo, em produções como Aida, Il Campanello e Turandot, entre outras.

Em 1995 realizou a primeira apresentação com alunos de canto em Pelotas, e não parou mais nos anos seguintes, gerando o Coro da Sociedade Pelotense Música pela Música.

Em 2004, iniciou a formação da Orquestra com apenas seis músicos. Com os anos foi equilibrando a formação de naipes no conjunto, até chegar à configuração de uma Orquestra Filarmônica. Agora conta com cerca de sessenta integrantes de Pelotas e região. É o atual diretor artístico e regente do Coro e da Orquestra Filarmônica Música pela Música, que se apresentam regularmente em Pelotas e em cidades próximas.

Na quinta-feira 13 de novembro será a Gala Lírica 2014 da Sociedade Música pela Música no Teatro Guarani, às 21h. Coro e orquestra acompanharão os solistas líricos Elisa Machado, João Ferreira Filho e Fernando Montini.

Ingressos na Fábrica Cultural, Félix da Cunha 952 (9-18h, sem fechar ao meio-dia) ao valor de R$ 40 ou doação de material de higiene (3227 6601).

Nenhum comentário: