domingo, 25 de agosto de 2013

Jornalistas de Pelotas já falecidos

Com a morte do ex-jogador e narrador esportivo Luiz Carlos Martinez, terça passada (20-8), o antigo repórter Nilo Dias Tavares escreveu uma lembrança de uns 45 radialistas e jornalistas pelotenses que morreram nas últimas quatro décadas (v. texto abaixo). Sobre Martinez, leia também o artigo de Sérgio Cabral no Diário Popular.

 A primeira equipe pelotense de futsal (E.C. Pelotas): Luiz Carlos Martinez, goleiro (esq.)
Luís Rosa (Rosinha), Fernando Viana (Vianinha), Aldrovandro Dutra,
Luís Carlos Oliveira (Joca), Paulo de Souza Lobo (Galego) e Aldrovandro Loureiro (Gringo)
Em 1957, o Pelotas começava a sua história no futebol de salão da cidade. Formou a sua primeira equipe para praticar um esporte que fora trazido para Pelotas pela Agremiação Pelotense de Esportes. Na então cancha de asfalto, onde hoje está a Churrascaria Lobão, o áureo-cerúleo passou a jogar o futebol de salão, esporte que mais tarde daria muitas glórias ao clube da avenida Bento Gonçalves. [Revista "Pelotas 90 anos", citada pelo blogue Museu Virtual do Futebol]

Imprensa pelotense de luto

Certamente Deus está pensando seriamente em montar lá em cima uma emissora de rádio e quem sabe também um jornal, pois já foram tantos os amigos da imprensa escrita e falada de Pelotas que partiram desde que saí da cidade em setembro de 1975, que passa essa ideia. E lá se foram 38 longos anos.

Em 2011 visitei a cidade pela última vez e tive a oportunidade de conversar com o amigo e grande narrador esportivo, Luiz Carlos Martinez. E hoje fiquei sabendo de seu falecimento ocorrido ontem em sua residência, na rua Anchieta, centro da cidade. Uma grande perda para toda a sociedade pelotense, pois se tratava de uma pessoa muito querida.

Luiz Carlos Martinez tinha 88 anos e morreu após uma parada cardíaca. O velório aconteceu no Cemitério Ecumênico São Francisco de Paula, e o sepultamento às 19 horas, no Cemitério do Fragata.

Nesse derradeiro contato que tive com Martinez, lembro bem, eu estava acompanhado dos amigos Luiz Carlos Knopp, ardoroso torcedor do E.C. Pelotas [radialista João Carlos Knopp também morreu em 2012, v. nota de falecimento] e do repórter esportivo de meus tempos de rádio, Amir Cury. Como não poderia deixar de ser recordamos boas coisas de uma época que ficou só nas nossas lembranças.

Eu trabalhei com o Martinez na Rádio Pelotense, logo que a emissora se mudou para o Cine-Rádio, na Andrade Neves. Tínhamos uma bela equipe esportiva, comandada por mim, graças à bondade do saudoso Luiz Castro, que era o diretor da emissora. Os narradores eram o Martinez e o Brauner. Um dos comentaristas era eu. Às vezes também narrava um jogo ou trabalhava de repórter. O Renato Carvalho era um dos repórteres.

O estúdio da Pelotense em 2012
(foto de Helena Schwonke)
Aos domingos à noite, 22 horas, o Brauner, o Martinez e eu apresentávamos o programa “Resenha Esportiva Mesbla”. Quase sempre o Romeu Machado dos Santos, o “Machadinho”, que era o nosso plantão esportivo, também participava noticiando os resultados dos campeonatos de outros países.

O Brauner ria por qualquer coisa, principalmente quando o Machadinho entregava os resultados do campeonato argentino, com jogos do Huracán Buceo [antigo time uruguaio] e os gols do artilheiro “Cullione”. Eu também não resistia e caía na risada. Quem salvava a situação era o Martinez, que se mantinha sério.

Além de extraordinário profissional do rádio, Luiz Carlos Martinez foi um grande goleiro de futebol de salão, tendo conquistado muitos títulos pelo E.C. Pelotas. Aproveito para lembrar de alguns colegas da imprensa de Pelotas, não só da esportiva, que deixaram imensa saudade:
  • Jair Rodrigues, que foi narrador junto com Paulo Correia, na Rádio Pelotense, nos tempos da Félix da Cunha;
  • Phidias Galo, comentarista esportivo; 
  • Armando Leite Goulart, comentarista esportivo;
  • Honório Sinott, editor de esportes do Diário Popular;
  • Eliseu de Mello Alves, jornalista do Diário Popular e pesquisador;
  • Álvaro Piegas, repórter policial do Diário Popular [v. artigo neste blogue];
  • Irajá Nunes, brilhante jornalista [v. relato neste blogue];
  • Fernando Cunha, narrador da Rádio Universidade e repórter do Diário Popular:
  • Ernane Cavalheiro, colunista do Diário Popular e pai do jornalista Mairo Cavalheiro;
  • Victor Hugo Horta, colunista do Diário Popular;
  • Gilson Tilmann, repórter da Rádio Cultura;
  • Paulo Ribeiro, repórter da Rádio Pelotense;
  • Heriberto Reis do Nascimento, comentarista da Rádio Cultura;
  • Edmar Alan, repórter da Rádio Cultura;
  • Petrucci Filho, narrador da Rádio Cultura;
  • Romeu Machado dos Santos, o Machadinho, plantão esportivo;
  • Ramão Barros, fotógrafo do Diário Popular;
  • Dinei Avelar, plantão esportivo; 
  • José Alan, comentarista esportivo [v. nota de óbito];
  • Deogar Soares, marcou época na Rádio Tupancy [v. nota neste blogue];
  • Antônio Carlos Alves, narrador esportivo [v. nota de falecimento]; 
  • Rubens Coutinho, repórter da Rádio Cultura;
  • Luiz Castro, diretor da Rádio Pelotense; 
  • Clayr Lobo Rochefort, diretor do Diário Popular [v. reportagem neste blogue];
  • Izabelino Tavares, meu irmão; 
  • Geraldo Fagundes, locutor da Rádio Tupancy;
  • Bernardo Hobuss, repórter esportivo;
  • Abrahão Gonçalves, repórter esportivo das rádios Pelotense e Tupancy;
  • Barreto Pinto, o "homem da saudade";
  • Aires Pastorino, o homem do "Balcão Musical Mesbla", na Rádio Tupancy;
  • Imagem do site E-Cult
  • Émerson Vieira, repórter da Rádio Pelotense;
  • Miguel Tarnak da Rocha, o maestro Rochinha, da Rádio Pelotense;
  • José Carlos Sica, diretor da Rádio Pelotense;
  • Paulo de Souza Lobo, o "Galego" [foto maior acima], foi comentarista esportivo da Rádio Pelotense, além de notável técnico de futebol;
  • Ivan Aune, narrador de turfe; 
  • Caio Vieira Juruá, cronista de turfe;
  • Elias Bainy, jornalista e repórter de turfe;
  • Vilmar Tavares (foto à dir.), fotógrafo dos jornais Diário Popular e Diário da Manhã [citado neste blogue] e
  • José Salimen Júnior, de vitoriosa carreira na imprensa de Porto Alegre.
A lista é imensa. Com certeza faltaram muitos nomes, o que se deve à memória já desgastada pelos 72 anos de idade deste colunista. E também porque certamente não fiquei sabendo de todos os colegas amigos que já se foram.
Nilo Dias


Nilo Dias Tavares
Pesquisador e jornalista aposentado, nascido em Dom Pedrito (RS), em 3 de abril de 1941. Trabalhou nas empresas Caldas Júnior e RBS, em rádios, jornais, revistas e TV. Desde 1999 mora em Brasilia, onde trabalhou nas assessorias de imprensa do Ministério de Minas e Energia, da Câmara de Gestão da Crise de Energia Elétrica e da Confederação Nacional de Municípios. Mais sobre Nilo no blogue Minha vida, minha história.

9 comentários:

Anônimo disse...

Excelente matéria do jornalista Nilo Dias e cumprimentos ao editor do blog por reproduzi-la.Faltaram na relação dos ¨lembrados¨( e não poderia ser de outra forma com todos a risca sendo citados )acredito nomes como o plantão esportivo da RU , Antonio Carrion, o narrador da Pelotense Emerson Vieira e, acredito mais uns 50 grandes radialista . Tambem coloco que Nilo citou Luiz Carlos Knopp ( vivinho da silva) e que não é, nem foi do meio. O falecido em Novembro passado, sim, foi um grande radialista e se chamava João Carlos Knopp Cardoso ( grande figura a exemplo do Luiz Carlos que não é seu parente ). Grande trabalho e torço sempre pela continuidade de trabalhos dessa magnitude. Renato.

Francisco Antônio Vidal disse...

Obrigado pelo comentário bem informado. Com certeza muitos falecidos ficaram fora da lista. Quanto ao Knopp citado por Nilo, foi somente a título de amizade dele. Corrigi a menção ao outro Knopp.

Quanto ao Emerson Vieira, está citado entre Aires Pastorino e o maestro Rochinha (pode conferir no link abaixo do nome do autor).

Creio que o "homem da saudade" seria Franco Barreto, e não Barreto Pinto, mas deixei como estava no original.

Ainda sobre o jogador Cullione, não achei referência alguma em sites em espanhol.

Julick Coutinho disse...

Fico de certo modo agradecida pelo fato de meu pai,Rubens Coutinho ter sido lembrado.

Carlos Ferreira disse...

Futebol 2015

A equipe Multimídia, "timaço Microfone de Ouro" do Carlos Ferreira, com elenco renovado, aguarda a temporada 2015 para transmitir os jogos do Tupi de Juiz de Fora na 01ª divisão do futebol Mineiro, Copa do Brasil e campeonato Brasileiro da Série C..

O Nacional de Muriaé no Módulo Dois, o Tombense no Módulo Um e demais equipes da Zona da Mata Mineira, nas mais diversas competições do futebol regional, também terão destaque com a equipe Multimídia.

As informações da literatura, da música, do rádio e do futebol você tem aqui no BLOG:
www.carlosferreirajf.blogspot.com

Vem aí as emissoras MULTIMÍDIA da Zona da Mata Mineira, Leste de Minas, Região dos Lagos, Baixada e Sul Fluminense, empresas da Sociedade Multimídia de Comunicação.

Att,
Carlos Alberto Fernandes Ferreira
https://www.facebook.com/carlosferreirajf?ref=tn_tnmn
Juiz de Fora-MG

EM TEMPO:
Estou escrevendo o livro "Saudade...", palavra única que só existe na Língua Portuguesa. Se você já contribuiu, enviando seu depoimento, sua saudade, eu agradeço. Se não, eu estou aguardando a sua valiosa contribuição.

Exemplos de saudades que irão para o livro:

Eu tenho saudade do...
"Trem de Ferro, da antiga Leopoldina, que passava por Bicas (minha terra natal), transportando passageiros e escoando a produção de café. Acordava cedo só para ouvir o repique do "sino" da estação, anunciando a chegada, ou a partida, de mais um trem de passageiro"
Jorge Rebouças - Engenheiro Civil
Bicas-MG

Eu tenho saudade das...
"Partidas de futebol que o Santos Futebol Clube, do bairro Floresta, realizava no campo da Fábrica de Tecidos São João Evangelista e que a família Carbogim era base do time, com Zé Alemão, Gabriel e Rafael, além de meu sobrinho Flávio, como mascote"
Manoel Carbogim - Aposentado
Juiz de Fora-MG

Eu tenho saudade dos...
"Bailes de carnaval nos clubes da cidade, na década de 1980, onde a diversão era muito mais sadia.Também tenho muita saudade quando eu apresentava bailes nos clubes de Juiz de Fora e cidades vizinhas. Saudade da eterna rádio Mundial 860, onde sempre buscava os novos hits para tocar no meu programa radiofônico. Bons tempos..."
Carlos Augusto de Oliveira (Guto) - Radialista

Nilo dias tavares disse...

Fiquei muito feliz por ver essa minha matéria publicada nesse blog. Sai de Pelotas em 19075, e nesse tempo todo estive poucas vezes na cidade. Muitos colegas partiram, não fiquei sabendo de todos. O importante é que deixaram um trabalho e uma saudade. Não os esqueceremos nunca.

Francisco Antônio Vidal disse...

Justamente ontem foi-se outro radialista esportivo, também repórter de jornal, Jorge Abel Rodrigues Laranjo, conhecido como Abel Santa Cruz.

Francisco Antônio Vidal disse...

O radialista João Carlos Silva morreu ontem terça (17-3) aos 55 anos.

Francisco Ribas disse...

Benito Amato, o nais laureado, nao e falecido?

Francisco Antônio Vidal disse...

Francisco, esta lista não é completa nem atualizada. Veja aqui outros jornalistas locais recordados em 2008 por Sérgio Cabral.
srv-net.diariopopular.com.br/14_12_08/p4002.html