terça-feira, 6 de janeiro de 2015

A ideia de criar o PT foi de um pelotense

O advogado pelotense Huberto Luiz Paiz Machado, atualmente com 68 anos e morando em Santa Maria, afirmou no Facebook que a ideia de fundar um partido do movimento sindicalista brasileiro surgiu das bases gaúchas em 1978, mais precisamente de um funcionário do BANRISUL em Porto Alegre: um pelotense, o sindicalista Felipão Nogueira, então colega de Huberto no Direito da UFRGS. E cita testemunhas ilustres.

Leia abaixo a nota de Machado, escrita esta semana (não pública), e outra sobre corrupção e pragmatismo na política, escrita em outubro passado, antes do Segundo Turno Aécio x Dilma (Facebook, 14-10-14).

Petismo é coletivismo

Lula não é o PT. Ele divulgou a ideia e deu a impressão que era o mentor dela. Eu testemunhei os fatos e um dia vou contar essa História em detalhes.

Sábados de outubro de 1978:  7, 14, 21 e 28.
A ideia de criar o PT foi do LUIZ FELIPE DA COSTA NOGUEIRA (nascido em Pelotas, funcionário do Banrisul e falecido em 2006).

No Sindicato dos Bancários de Porto Alegre, ele propôs em reunião, num sábado – outubro de 1978 – para que se fundasse o Partido Sindicalista e se evitasse a manipulação do povo por Políticos Tradicionais, na reorganização partidária. Aprovamos a ideia, éramos uns 15 bancários.

Olívio Dutra, presidente do Sindicato, soube no sábado seguinte. Gostou da idéia e a levou para a INTERSINDICAL (Reunião de outros Sindicatos de Porto Alegre), onde foi aprovada. Logo surgiram os núcleos dos Jornalistas, Vigilantes, Pedreiros, Advogados, Estudantes, Tecelões...

Então, nos cotizamos para que Olívio levasse a ideia a uma reunião de Sindicalistas convocada por Almino Afonso (que voltara do exílio). Era início de 1979. Almino Afonso e os Sindicalistas Paulistas ouviram a idéia. No dia seguinte, Lula falou à mídia na primeira pessoa:

– Para mim, só se resolve a questão dos trabalhadores criando um partido semelhante ao Partido Trabalhista Inglês.

As TVs noticiaram que a idéia era do LULA , e o mito ficou até hoje.

Lembro Velhos Companheiros dessa época: Antônio Sanzi (v. reportagem), Nilton Azevedo, o escritor Airton Ortiz (Porto Alegre), o José Fortunati (ex-bancário e atual Prefeito de Porto Alegre, que hoje está no PDT). Eles confirmarão o que digo. Assim, Dilma faz bem em não render-se ao Culto à Personalidade do Lula, pois Petismo é Coletivismo e PT não é Lulismo.

Huberto Machado, 4-1-15
De acordo ao Sindicato dos Bancários, o pelotense Luiz Felipe Nogueira foi militante do movimento estudantil (na UFRGS), depois funcionário do BANRISUL e protagonista do sindicalismo bancário nacional. Desde os anos 70, ocupou cargos diretivos no Sindicato de Bancários de Porto Alegre e Região (foi presidente 1987-1990), na Federação dos Bancários (FEEB-RS) e na Confederação Nacional (CNB-CUT). Na greve nacional de 1979, foi preso e cassado, junto a Olívio Dutra e outros dirigentes bancários. Aposentou-se em 2004, e morreu em Porto Alegre aos 55 anos, de uma parada cardíaca, em 14 de janeiro de 2006.
Sobre a criação do Partido dos Trabalhadores, Marisa Z. Godoy (UFRGS, 2014, leia aqui) sustenta que o PT nasceu de três vertentes, sendo a primeira e mais forte "o grupo dos sindicalistas, articulado pela Intersindical, que toma a iniciativa de propor a criação de um Partido dos Trabalhadores e passa a aglutinar as outras duas vertentes" (p. 17). Isto ocorreu em janeiro de 1979, quando o IX Congresso dos Metalúrgicos de São Paulo aprovou a tese do Sindicato de Santo André (p. 23-24). A referência é a pesquisa de Marta Harnecker "O sonho era possível" (1994). A Wikipédia sintetiza que o PT "surgiu da organização sindical espontânea de operários paulistas".
Por outro lado, o Instituto Lula reconhece que a fundação do PT foi fruto de muitas ações coletivas ao longo do Brasil: « A legenda é resultado de dois anos de articulações, desde as greves de 1978, quando surgiu pela primeira vez a proposta de criar um partido do povo, e não apenas para o povo: "de baixo para cima", na definição de Lula » [clique em Leia Mais, em fevereiro de 1980]. 
Assim, se a ideia deu certo porque um líder (nordestino) a reconheceu e a levou à prática (em São Paulo), parece não mais importar onde nasceu a primeira proposta (no Sul), pois já teria nascido com o caráter de coletiva. O Brasil é uma construção coletiva, ainda no embrião.
Foto: Portal PT 

Nenhum comentário: