sábado, 10 de janeiro de 2009

Um instituto para desenvolver Pelotas

Em 20 de dezembro passado, iniciou-se a fundação do Instituto Leda Bacci para o Desenvolvimento (ILBD). Trata-se de uma antiga idéia do advogado pelotense Reginaldo Bacci (foto à direita), fã entusiasta da vocação turística e das possibilidades econômicas de nossa cidade.

A convocatória reuniu, na sala Chuí do Curi Palace Hotel, 35 pessoas entre 9 e 78 anos de idade (fotos abaixo), em sua maioria amigos de Reginaldo e descendentes da dra. Leda, advogada pelotense já falecida. Provenientes de diversas áreas, estes fiéis colaboradores se declararam dispostos a um trabalho silencioso e perseverante.

O estatuto, de 51 artigos, define como objetivos do ILBD: captar verbas públicas, formar parcerias com o governo municipal, promover ações para o desenvolvimento de Pelotas e região, pesquisar, debater, e ensinar o que for de ajuda para o crescimento local, entre outras atividades. O documento foi aprovado por unanimidade, assim como os nomes que serão parte da estrutura institucional de três conselhos.
  • No Conselho Diretor: Reginaldo Bacci, Presidente; Cleianara Acunha, Diretora Administrativa; Daniela Brisolara, Diretora de Projetos; José Ricardo de Freitas, Diretor de Captação; e Fábio Peres, Diretor de Comunicação.
  • Os 3 membros efetivos do Conselho Fiscal e os 3 suplentes também foram nomeados nesta reunião.
  • O Conselho Consultivo não ficou designado, mas incluirá pelotenses residentes no Brasil e no exterior.

    O Instituto será legalmente fundado em janeiro, com a inscrição dos estatutos em cartório. No fim de semana de carnaval, haverá outra reunião de todos os sócios fundadores. Participei deste encontro pioneiro que foi anunciado no blog Amigos de Pelotas, um apoiador independente desta iniciativa. Como estávamos na sala Chuí, fiz esta reflexão:

    O extremo sul do Brasil é reserva ecológica de nossas riquezas; também no sentido moral, nossa nação espera realizar suas potencialidades, e o sul reaparece como uma esperança. Ao longo do país, a corrupção toma conta e os líderes perdem confiabilidade, enquanto o povo observa a decadência mental, econômica e cultural. Paradoxalmente, nossa distância do centro nacional nos faz proclives a iniciativas que podem dar certo, como esta, que pode ser um modelo de organização para o crescimento de uma comunidade.
    Fotos de José Ricardo de Freitas.

Um comentário:

teresinha brandão disse...

Excelente iniciativa! Bom trabalho à equipe de conselheiros!