segunda-feira, 28 de junho de 2010

Enchente de 1941 em Pelotas

No outono de 1941, três semanas de chuvas no Rio Grande do Sul causaram enchentes que até hoje a população lembra como um desastre, em várias cidades do Estado. Em Porto Alegre, o Guaíba subiu, inundando todo o centro até a Avenida Farrapos (leia relato). Os meteorologistas dizem que essa foi a maior manifestação, no século XX, do fenômeno El Niño (leia análise). Em 2009, Rafael Guimaraens escreveu um livro que relata a tragédia, em que um quarto da população ficou desabrigada (leia reportagem).

O único documento - acessível pelo Google - que menciona esta enchente em nossa cidade é a tese "De fontes e aguadeiros a penas d'água: reflexões sobre o sistema de abastecimento de água e as transformações da arquitetura residencial do final do século XIX em Pelotas", de Aline Montagna da Silveira, doutora em Arquitetura pela USP (2009). Neste estudo, três fotos mostram a Praça Domingos Rodrigues e a Rua Benjamin Constant totalmente cobertas pelas águas do canal São Gonçalo, isolando a Alfândega e o Porto.

Por sua baixa altitude e grande umidade, Pelotas está muito exposta a inundações, que (talvez por ser cíclicas?) não geram muitos estudos ou reportagens. Fotos compiladas por Nelson Nobre Magalhães mostram que as águas chegaram até a Rua Almirante Barroso e a parte mais baixa da Gonçalves Chaves. Não há menção de outras zonas alagadas, além da Várzea. As imagens digitalizadas foram vertidas pela TV UCPel a um minivídeo que informa deste acontecimento.

5 comentários:

Lehoinc disse...

eu quisera saber si voçe no pode me informar sobre o proyeito TEATRO POPULAR que Solano Trindade intentou facer no ano 1940 junto com Bauldino de Oliveira. Que no Enchente de 1941 foi destruido. Eu estou facendo um livro sobre minha avo. Ela conhesou a os dois homeis e formou parte do Parnaço Negro.

Eu so Uruguaio, mais minha familia e Riograndense.

Francisco Antônio Vidal disse...

Esse projeto se perdeu com a enchente. Depois da morte de Solano, sua filha Raquel Trindade criou em 1975, no Embu das Artes, o "Teatro Popular Solano Trindade". Em 2008 foi o centenário de Solano. Esta informação está no blog SEC.
http://sergipeeducacaoecultura.blogspot.com/2009_07_01_archive.html

Esse projeto de teatro ainda existe e tem um blog.
http://teatropopularsolanotrindade.blogspot.com

Zinho Trindade, bisneto de Solano, segue a tradição de poesia e música popular.
http://www.myspace.com/zinhotrindade

Lehoinc disse...

Muchas Gracias / Muito obrigado

Anônimo disse...

Estou fazendo um trabalho sobre a grande enchente de 1956, em Pelotas. Entretanto, por mais que pesquisasse, não me foi possível encontrar material algum a respeito. Carlos Silveira

Francisco Antônio Vidal disse...

Carlos, o Google não é a única fonte de pesquisa. Se vc ficou sabendo da enchente por alguma pessoa ou documento, comece a partir daí. Para fatos pouco estudados, convém buscar nos jornais da época e entrevistar pessoas mais velhas, que tenham presenciado o que aconteceu.

Perguntei a nosso colunista Rubens Amador, atualmente com 88 anos, e me contou que naquele ano as águas inundaram toda a área baixa vizinha ao Santa Bárbara (antiga Escola Técnica, antiga usina elétrica, Saldanha Marino). É bom lembrar que na época o Santa Bárbara ainda tinha um braço que cruzava a praça Cipriano Barcelos (dos enforcados), o qual foi aterrado dez anos depois.