quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Vitral de Pentecostes

Domingo (15) a Diocese de Pelotas completou cem anos de fundação. A propósito da designação de Dom Jacinto Bergmann, publiquei uma nota sobre os cinco bispos diocesanos (leia). Para marcar o centenário, colocarei algumas obras de arte relacionadas com a Catedral de São Francisco de Paula.

O maior templo de Pelotas foi totalmente reformado quando a Diocese católica completava 40 anos. O financiamento proveio de quermesses e doações, organizadas pelo bispo. Dom Antônio Zattera entregou a nova Catedral em dezembro de 1950, na Missa de Natal. O altar de mármore foi inaugurado em agosto de 1951.

Entre os grandes vitrais, o que me parece mais interessante é o que representa o Pentecostes cristão, em que Deus se doa ao coração dos homens (Atos dos Apóstolos cap. 2). A imagem se encontra do lado norte do templo, próximo ao altar principal.

Nesta cena, os apóstolos aparecem reunidos em torno a Maria, quando os visita o Espírito Santo, representado por uma pomba (pela descrição de Mateus 3, 16). São doze homens, pois Judas já havia sido substituído por Matias (segundo Atos 1, 26). O dia de Pentecostes celebra-se 7 semanas após a Páscoa, na mesma data tanto para o judaísmo como para todas as denominações cristãs.

Os vitrais foram colocados em 1933 (leia histórico da Catedral) e restaurados em 2005, à base de contribuições da comunidade. Seguindo um costume da classe alta pelotense, os nomes dos doadores ficam expostos em cada obra e em cada restauração, como se fossem os autores. Em todo caso, não se pode dizer que essa prática tão humana infrinja o ensinamento de Jesus (segundo Mateus 6, 3), pois não se trata de uma esmola.
Imagens: F. A. Vidal

3 comentários:

Claudia disse...

Gostei muito do teu blog
Estou procurando obras dos meu antepassados, e eles fizeram parte na construção da Catedral São Francisco de Paula me Pelotas, na confecção dos vitrais. Eles faziam também pinturas em azulejos, mosaicos e afresco. Inúmeras vezes eles não assinavam, que me dificulta encontra-las. Se souber de alguma informação, me avise por favor. As pinturas em afresco eram feitas pelo meu tio bisavô Joseph Veigel ele também pintava os vitrais. A partir da década de 50 meu tio bisavô Hans Veit assinava mais livremente ,seriam eles proibidos de assinas as obras?
http://artestirpe.blogspot.com.br
Cláudia

Francisco Antônio Vidal disse...

Cláudia, eu não sabia os nomes de teus antepassados, vou pôr atenção de agora em diante, especialmente na Catedral de Pelotas.

Deves saber que com a aparição do nazismo na Alemanha e até após a Segunda Guerra os alemães foram perseguidos na América, independente de ideologia. Igrejas luteranas foram queimadas, pessoas e famílias perderam bens e costumes. Sobrenomes foram mudados, até mesmo cidades com nome alemão foram adaptadas ao idioma português. É possível que alguns artistas não quisessem assinar com nome alemão, por segurança, ou até mesmo alguém lhes proibisse, não há como saber ao certo sem uma pesquisa detalhada.

artestirpe disse...

Agradeço a dica, vou usar para cruzar os dados com as datas das construções. Em Santa Catarina isso também foi muito forte.
Pelo que eu já pesquisei a primeira parte a Catedral feita pelas Veit e a segunda pelos vitralistas da Casa Genta. Este da tua foto é da Casa Genta, o que deferência seria as bordas da parte de cima quadradas e as dos Veit ovais.
Inúmeras vezes como os doadores, escoliam de quem comprar os vitrais as duas casa se juntaram em varias igrejas e catedrais, nem só mas igrejas católicas, o que acabou de uma certa forma padronizando os vitrais na época. Que me dificulta muito encontra-los.
Estas de parabém pelo teu blog muito atualizado.
Cláudia Schumann
http://artestirpe.blogspot.com.br