quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Centenas de cartas ao Papai Noel esperam resposta

Em 2009, em todo o país, foram postados quase 2 milhões de cartas ao Papai Noel (89% a mais que em 2008). Desse total, foram entregues 413.602 presentes por meio da campanha Papai Noel dos Correios.

A agência de Pelotas está engajada nesse projeto nacional, que em 2010 definiu uma finalidade educativa e social: crianças entre 8 e 10 anos, de 4 escolas mais carentes da cidade, escreveram em aula suas cartas, fazendo seus pedidos ao Papai Noel.

Elas foram orientadas a somente pedir brinquedos (incluindo bicicletas), material escolar e roupas. Aparelhos eletrônicos ou alimentos (perecíveis ou não) não serão aceitos na triagem e não chegarão aos possíveis leitores das cartas, que apadrinharão os pedidos ao modo de um amigo secreto.

A política nacional deste projeto tenta superar o consumismo atual e preservar o sentido da infância, focando nos brinquedos e nas necessidades mais básicas, e mantendo o mito tradicional do Papai Noel, de alto valor emocional para meninos e meninas. Por outro lado, ao evitar o conteúdo religioso cristão, deixa em branco o possível ensinamento cultural e o espiritual.

Nos últimos vinte anos, a agência de Pelotas atendia os pedidos com funcionários locais, que faziam a triagem e alguns até apadrinhavam as cartas. Com o aumento da demanda, restringiu-se a aceitação de presentes quanto ao conteúdo e quanto à idade dos remetentes. Até o ano passado, aceitavam-se somente pedidos de crianças até dez anos de idade e que não pedissem alimentos perecíveis ou coisas caras, como computadores. Os carteiros entregavam os presentes no domicílio informado, como se fosse uma encomenda do Papai Noel.

Em 2010, os pedidos fora desses critérios não serão atendidos, e as cartas de crianças "autônomas" serão encaminhadas à agência de Porto Alegre, deixando disponíveis para padrinhos de Pelotas somente as cartas das instituições: Escola Independência (Sítio Floresta), Escola Professora Lélia Romanelli Olmos (Areal), Escola Jornalista Deogar Soares (Dunas) e Escola Dr. Procópio Duval Gomes de Freitas (Três Vendas).

Quem quiser ser um Papai Noel e alegrar a vida de uma criança pode exercer sua solidariedade neste Natal e adotar uma carta: de segunda a sexta pela tarde (de 13:30 a 17:30) e sábados pela manhã (9h-12h). Basta escolher um pedido e comprometer-se a atendê-lo até o sábado 18 de dezembro, que o presente será entregue na escola respectiva (não na casa das crianças). A surpresa para elas consistirá em ser atendidas pelo Papai Noel, ainda que as não contempladas possam passar pela decepção de não receber o que pediram.

Um e-mail que circula pela internet convida as pessoas a ser o Papai Noel ou Mamãe Noel de alguma criança, atendendo seus pedidos numa agência dos Correios. O custo em dinheiro é baixo e o esforço físico é somente de entregar o presente no Correio, sem o preço do envio, que neste caso é a empresa que financia. A mensagem diz que, na vida, a gente passa por 3 fases:

  • a primeira, quando acreditamos no Papai Noel;
  • a segunda, quando deixamos de acreditar, e
  • a terceira, quando nos tornamos Papai Noel.

Leia aqui três casos tocantes relatados no Mato Grosso do Sul e no Espírito Santo: o menino que encontrou o carteiro perdido com seu presente, a criança que em vez de brinquedo queria achar seu pai, e o menino cego que queria um bola sem chocalho.
Fotos de F. A. Vidal

3 comentários:

Tear de Sentidos disse...

Ótima iniciativa! E ainda "educa" para o não-consumismo e para o resgate da infância!
Muito legal!
Bj, Tê!

Anônimo disse...

as crianças que nao sao das escolas solicitadas terao suas cartas atendidas em porto alegre ou nao

Francisco Antônio Vidal disse...

É de nós como comunidade que dependem as respostas às cartas. Nós é que somos o Papai Noel. O Correio só é intermediário.
Portanto, não sabemos quantas nem quais cartas serão atendidas.
Segundo uma notícia de hoje, em Pelotas foram anotadas 80% das cartas das escolas (mas não sabemos se todos os padrinhos anotados vão trazer o presente; pelo menos eles se comprometeram).

As cartas de Pelotas que não são das crianças das escolas escolhidas foram para Porto Alegre, e lá foram lidas por padrinhos de lá. Não sabemos se foram atendidas, mas a probabilidade é entre 60 e 80%, calculando por anos anteriores. Papai Noel somos nós.